product logo

Levando o aplicativo Oracle ADF do design para a realidade

 

Aprenda técnicas para decompor requisitos do sistema em um aplicativo vivo e dinâmico do Oracle ADF.

Chris Muir ACE Director e Penny Cookson ACE

Este artigo de várias partes tem abordagem narrativa para ajudar os desenvolvedores a entender a mentalidade e as habilidades necessárias para criar uma solução Oracle ADF. Usaremos técnicas como storyboarding para captar as necessidades dos usuários e definir as prioridades dos requisitos a fim de desmembrar o conjunto de problemas em unidades distintas e solucionáveis usando uma técnica conhecida como "MoSCoW," e decompor o problema passo a passo para implementar soluções distintas nos ADF Business Components e ADF Faces RC no Oracle JDeveloper 11g.

Não apresentaremos instruções passo a passo para os leitores criarem cada construção do ADF, pois presumimos que estão familiarizados com os princípios básicos dos ADF Business Components — que incluem criação de Application Modules, Entity Objects e View Objects — e também com o bê-á-bá do RC do ADF Faces, como criação de páginas JSF, fluxos de páginas e similares.

Divirta-se!



Capítulo 1
- Onde está a minha parte?


Saiba como usar as técnicas de storyboarding para determinar necessidades e empregar a definição de prioridades MoSCoW para ter noção de onde começar.



Capítulo 2 - Requisitos "obrigatórios": um aplicativo básico de pesquisa


Nessa seção você aprenderá a desenvolver os requisitos obrigatórios; primeiro, precisará dos campos e de uma tela de pesquisa básica.



Capítulo 3 - Requisitos "necessários": criando um aplicativo para o público geral


Saiba como desenvolver requisitos necessários, como registro do endereço IP dos usuários, caso aceitem nossas condições e termos, bem como os recursos de pesquisa aprimorados.



Capítulo 4 - Requisitos "desejáveis": registrando critérios de pesquisa


Saiba como manter todos os critérios de pesquisa inseridos pelo usuário, bem como o número de registros resultantes. Assim, você poderá monitorar o quanto a página de pesquisa é útil.



Capítulo 5 - Requisitos "desnecessários" (mas que serão implementados mesmo assim): evitando acesso mal intencionado


Mostra como adicionar algumas funções para evitar acesso mal intencionado, bloqueando qualquer endereço de IP que emitir três consultas em uma hora sem encontrar resultado algum.



Chris Muir
, diretor do Oracle ACE, ministra treinamentos e é desenvolvedor sênior de sistemas Oracle para a Sage Computing Services na Austrália. Há mais de dez anos trabalhando em desenvolvimento Oracle tradicional, recentemente Chris tem ampliado ainda mais sua larga experiência trabalhando com os programas Oracle JDeveloper e ADF, ministrando treinamento nesses programas e promovendo-os. Chris faz apresentações com frequência sobre Java e JDeveloper entre os grupos de usuários Oracle da Austrália. Integrante ativo do comitê, ocupando posições de nível nacional em várias ocasiões, esse especialista tornou-se membro vitalício em 2006 por sua dedicação à arena de grupos de usuários.

Penny Cookson, Oracle ACE, trabalha com produtos Oracle desde 1987. Penny, diretora geral da Sage Computing Services, é especialista em ensino e consultoria Oracle, conduziu cursos de treinamento e atuou como consultora orientando sobre uma ampla variedade de produtos em toda a Austrália. Penny é apresentadora assídua nas conferências da Oracle. Foi escolhida como Educadora do Ano pela Oracle Magazine em 2004.

Os autores agradecem a John Stegeman e Steve Muench pelas informações obtidas em seus blogs, utilizados na criação deste artigo, e a Grant Ronald por sua minuciosa revisão.