Palestra do Oracle OpenWorld —Inovação na Nuvem

O CEO da Oracle Mark Hurd Apresenta o Futuro da Nuvem

Por John Soat


A Oracle Liderará Essa Transição das Grandes Vantagens da Computação em Nuvem em Dez Anos



O CEO da Oracle, Mark Hurd, e os executivos da GE e da AIG discutem como a nuvem está transformando suas empresas.

 

O CEO da Oracle, Mark Hurd, abriu o Oracle OpenWorld 2015 na segunda-feira, destacando cinco previsões surpreendentes relacionadas à nuvem em 2025.

1. Oito por cento de todos os aplicativos de produção será feita na nuvem. “Atualmente, chega a quase 25%”, segundo Hurd.

2. Dois fornecedores de pacotes de software como serviço (SaaS) terão 80% do mercado de aplicativos empresariais da nuvem. “Eu voluntariei a Oracle”, brincou Hurd.

3. Cem por cento do trabalho de teste/desenvolvimento de software será conduzido na nuvem. “Acabou-se o tempo em que servidores, sistemas operacionais e bancos de dados fazendo tudo isso no local”, afirmou.

4. Todos os dados empresariais serão armazenados virtualmente na nuvem. “Atualmente há mais dados na nuvem do que nos sistemas de armazenamento tradicionais”, comentou Hurd.

5. A nuvem empresarial será o ambiente de TI mais seguro. “Temos patches, segurança e somos totalmente criptografados — essa é a nossa nuvem”, apontou Hurd.

Mark Hurd

 Acabou-se o tempo em que servidores, sistemas operacionais e bancos de dados fazendo tudo isso no local.  

—Mark Hurd, CEO da Oracle

O ambiente econômico praticamente dita que essas mudanças ocorrerão e rapidamente. Para Hurd, a economia de hoje é de “gratificação a curto prazo”, o que faz com que várias empresas cortem custos — principalmente em TI — como forma de compensar pelo crescimento lento da receita. Os cortes nos gastos em TI empresarial também indicam que as empresas estão presas em ambientes herdados frágeis e ultrapassados. “'Pré-pesquisa', 'pré-móvel', 'pré-qualquer-coisa' é tudo o que sabemos quando a maioria desses aplicativos foi criada ”, apontou Hurd.

A isso tudo, acrescenta-se “uma enorme necessidade de inovação, uma infraestrutura datada e a falta de recursos”, completou. A nuvem será a única forma de as empresas saírem de onde estão para a posição de velocidade, inovação e controle de custos de que tanto precisam.

“Ser capaz de atuar rápida, dinâmica e imediatamente no mercado é o objetivo dos CEOs”, disse. Para ele, a Oracle “liderará essa transição para a nuvem em dez anos.”

Em seguida, Hurd abordou dois líderes de alta tecnologia sobre como eles usam os serviços da nuvem e suas expectativas para o futuro.

Jim Fowler

O CIO da GE, Jim Fowler, discutiu a transformação da GE em uma empresa “Industrial Digital”.

Jim Fowler, CIO da GE

De acordo com Fowler, a empresa irá gerar mais US$ 15 bilhões em receita além de seus negócios tradicionais ao vender serviços digitais. Ela também visa incluir US$ 1 bilhão em lucros de produtividade dentro de três anos ao se tornar uma empresa “Industrial Digital”. “A GE está passando pela sua maior transformação em 130 anos de história”, disse Fowler. “Tudo isso graças à nuvem.” Até 2020, a GE planeja ter 70% dos seus aplicativos na nuvem. Por exemplo, um aplicativo de petróleo e gás que custava US$ 65.000 para ser executado localmente agora custa US$ 6.000 para ser executado na nuvem. Mudanças no processamento de um pedido que levavam 20 dias agora levam dois minutos na nuvem.

Mike Brady

O CTO da AIG, Mike Brady, falou sobre um modelo “de alta velocidade” baseado na nuvem.

Mike Brady, CTO da AIG

Segundo Brady, a AIG está adotando um modelo “de alta velocidade” baseado na nuvem, que permite com que ela hospede aplicativos herdados internamente ou na nuvem e utilize “recursos de rápido desenvolvimento.” Ele acrescentou que, a AIG gasta atualmente 75% do seu orçamento de IT em aplicativos herdados “bastante vulneráveis”.

Hurd disse que as empresas estão migrando para a nuvem por razões particulares e macroeconômicas. “Tudo por uma estrutura de custo reduzido. Tudo por um ambiente menos complexo. Tudo por um ambiente mais seguro, confiável, inovador e intuitivo”, completou. “Essa é a força motriz. E nada mais.”  


Isenção de Responsabilidade de Safe Harbor
As declarações contidas neste artigo relacionadas a planos, expectativas, crenças e intenções futuras da Oracle são “afirmações progressivas” e estão sujeitas a riscos e incertezas materiais. Tais declarações são baseadas em expectativas e conjecturas atuais da Oracle, algumas das quais estão além do controle dela. Todas as informações neste artigo estão atualizadas até 26 de outubro de 2015, e a Oracle não se responsabiliza por atualizá-las de acordo com novos dados ou eventos futuros.


Saiba Mais