Palestra do Oracle OpenWorld: Mark Hurd

Mark Hurd da Oracle: Risco, Complexidade e Custo Impulsionam Adoção da Nuvem

Gap e Bloom Energy são alguns dos clientes da Oracle que usam a nuvem para dar suporte à inovação e reduzir custos.

Por Michael Hickins



O CEO da Oracle Mark Hurd discute os vários motivos pelos quais os clientes estão migrando para a nuvem.

O crescimento econômico está estagnado em várias partes do mundo de negócios, e o ritmo cada vez mais rápido da inovação entre setores pressiona os CEOs para que produzam cada vez mais valor para os clientes (e retorno às partes interessadas) pelo menor custo.

Em sua palestra no Oracle OpenWorld, o CEO da Oracle Mark Hurd revelou: "Essa combinação de fatores está levando as empresas para a nuvem, o que pode liberar recursos para investimento em inovações voltadas para clientes, em um ritmo cada vez mais rápido. A nuvem se tornou um destino inevitável. É esse o rumo que a computação tomará nos próximos anos."

Comprovando essa tendência, uma pesquisa da Dimensional Research mostrou que as empresas estão migrando as atividades de desenvolvimento e teste de aplicativos para a nuvem em uma taxa de 20% ao ano. E a quantidade de data centers corporativos diminuiu em mais de 15% no último ano, segundo a IDC Research.

Você verá que a IA está diretamente integrada a cada um desses casos de uso.

—Mark Hurd, CEO da Oracle

Hurd notou que os orçamentos de TI corporativa continuam estáveis em muitas empresas. Geralmente, mais de 80% desses orçamentos são alocados em processos como aplicação de patches, atualização de sistemas e manutenção, o que deixa pouca verba para investir em aplicativos modernos e nos pontos de contato que os clientes esperam. Além disso, as questões de segurança absorvem mais investimentos potenciais em inovação, na medida em que o roubo de dados se tornou uma preocupação maior.

A falta de investimento em inovações aliada a um cenário econômico mais difícil está fazendo com que mais empresas transfiram cargas de trabalho de TI para provedores de serviço de nuvem como a Oracle, que possui orçamento de pesquisa e desenvolvimento de mais de US$ 5 bilhões.

"Os gerentes das empresas dizem, 'Quero sair dessa zona de risco, deixar de lado essa complexidade, me livrar desses gastos", contou Hurd. "Quero deixar tudo isso com vocês."

Segurança na Pilha de Nuvens

"A Oracle introduziu mais de 3.500 aplicativos baseados em nuvem e mais de 125 serviços de plataforma de nuvem nos últimos cinco anos", revelou Hurd. "Como a Oracle possui uma versão única da pilha de nuvens, ficou mais fácil para ela proteger sua própria nuvem do que para os clientes o fazerem com seus data centers."

Mark Hurd

Segundo o CEO da Oracle, Mark Hurd: "Um ambiente desafiador, aliado à necessidade cada vez maior de inovação, está levando mais empresas para a nuvem."

Essa tendência foi comprovada pelos clientes da Oracle, que estão migrando em massa para a nuvem. Para alguns, como a Caesar’s Entertainment, migrar softwares de contabilidade para o Oracle Cloud permitiu que a empresa economizasse "milhões e milhões de dólares", de acordo com o CEO Mark Frissora, que deu um depoimento em vídeo durante a palestra.

Para a Bloom Energy, provedora de tecnologias para combustível ecológico, os softwares de planejamento e finanças baseados na nuvem da Oracle foram fundamentais para o crescimento da empresa. Hoje, essa organização possui um quarto das empresas da Fortune 100 como clientes, de acordo com o CFO Randy Furr. O pacote de aplicativos do Oracle Cloud ajuda a empresa a utilizar dados mais pontuais e precisos "que têm nos ajudado a manter esse crescimento", disse Furr, que se juntou a Hurd no palco da palestra do Oracle OpenWorld.

Para a Gap, Inc., que possui quase de 1.300 lojas em mais de 90 países, o Oracle Retail Cloud está ajudando a fornecer uma experiência unificada para os clientes em todas as lojas e uma única experiência de comércio eletrônico em todas as suas marcas, que incluem Banana Republic, Gap, Old Navy e Intermix.

"Essa é a nossa arma estratégica", afirmou Paul Chapman, EVP e CIO da Gap, em conversa com Hurd.

As empresas estão migrando o desenvolvimento e teste de aplicativos para a nuvem em uma taxa de 20% por ano, enquanto que o uso de data centers empresariais caiu para mais de 15% no último ano.

Chapman brincou que o trabalho da Gap deve ser de costurar jaquetas, e não remendar sistemas de computadores. "Temos que sair desse ramo", completou.

IA por Toda a Parte

Esse sentimento está motivando um número cada vez maior de clientes, e com razão. O orçamento de pesquisa e desenvolvimento da Oracle não está voltado apenas para sistemas de nuvem mais seguros e confiáveis, mas também a inovações como inteligência artificial, que os clientes podem usar para aproveitar a economia com tecnologia da Oracle em suas próprias empresas.

"No fim das contas, você verá que a IA está diretamente integrada a cada um desses casos de uso", disse Hurd. "São infraestruturas, plataformas e aplicativos que são dimensionados e otimizados, desenvolvidos em padrões, mais econômicos, mais inovadores e mais seguros, com uma grande variedade de recursos novos que se integram diretamente à capacidade" do Oracle Cloud.

Saiba Mais


Safe Harbor
As informações acima têm o objetivo de traçar a direção dos nossos produtos em geral. Elas são destinadas somente a fins informativos e não poderão ser incorporadas a nenhum contrato. Elas não representam um compromisso de fornecimento de qualquer material, código ou funcionalidade e não devem servir como base para tomada de decisões de compra. O desenvolvimento, o lançamento, a vigência e o preço de quaisquer recursos ou funcionalidade descritos para produtos da Oracle podem mudar e permanecem a critério da Oracle Corporation. São aplicadas as tarifas para novas ofertas de produto do Database.

As declarações contidas neste artigo relacionadas a planos, expectativas, crenças e intenções futuras da Oracle são "prospectivas" e estão sujeitas a riscos e incertezas materiais. Tais declarações são baseadas em expectativas e conjecturas atuais da Oracle, algumas das quais estão além do controle dela. Todas as informações neste artigo foram atualizadas pela última vez em 2 de outubro de 2017, e a Oracle não se responsabiliza por corrigi-las de acordo com novos dados ou eventos.