Nenhum resultado encontrado

Sua pesquisa não corresponde a nenhum resultado.

Sugerimos que você tente o seguinte para ajudar a encontrar o que procura:

  • Verifique a ortografia da sua pesquisa por palavra-chave.
  • Use sinônimos para a palavra-chave digitada; por exemplo, tente “aplicativo” em vez de “software.”
  • Tente uma das pesquisas populares mostradas abaixo.
  • Inicie uma nova pesquisa.
Perguntas Frequentes

Regra de formação da URL en apex

Por Anderson Rodrigues Ferreira Oracle Associate,
Publicado em Março 2018

Revisado por Ivan Gardino

Do que se trata o artigo:

Neste artigo será apresentada a regra de formação da URL para acesso às aplicações da tecnologia Oracle Application Express (Apex).

Em que situação o tema é útil:

Para usuários e desenvolvedores que desejam manipular a URL para acesso e que querem conhecer os pontos de possíveis vulnerabilidades que devem ser protegidos.

Oracle Application Express (mais conhecido por Apex, com pronúncia ā'pěks) é uma tecnologia poderosa para desenvolvimento simples e rápido de aplicações sem custo que funciona em banco de dados Oracle (incluindo a versão gratuita Oracle Express Edition).

Uma das características do Apex que é muito importante conhecer é a regra de formação da URL.

Ela possui o formato semelhante ao apresentado na imagem abaixo.

O objetivo desta postagem serão os valores que ficam separados por ":" após o trecho "f?p=" da URL.

Repare que, na figura acima, logo após o trecho "f?p=" há o número 9829. Este número é o número da aplicação. Ele deve ser único dentro de uma instância do Apex. Pode-se utilizar o apelido da aplicação em vez do número.

Em seguida, há o número "7" que indica o número da página. Pode-se utilizar também o apelido da página.

Após isso, há um número bem grande "2010875792236801" que é o número da sessão. A sessão é gerada automaticamente pela engine do Apex e é utilizada para o gerenciamento da sessão: valores de componentes, usuário logado etc.

O texto "EDIT" é a requisição que está sendo passada para a página.

O trecho "NO" indica que a aplicação NÃO está no modo depuração (debug). Para ajustar a aplicação no modo de depuração, deve-se colocar "YES" ou "LEVELn", onde é o nível de depuração desejado (1 a 9). O default para "n" é 4. Se quiser um maior nível de depuração deve-se colocar valores mais altos para "n". Por exemplo, pode-se colocar LEVEL9, caso queira o maior nível de depuração.

O número "7" que vem logo após o "NO", indica que a limpeza de cache deve ser realizada para a página 7. Pode-se passar qualquer um dos valores da coluna "String da URL" de acordo com o quadro abaixo.

"P7_COD_CLIENTE" é o nome do item de entrada (input parameter) que receberá algum valor passado pela URL. Para mais de um item, coloque os nomes dos itens separados por vírgula.

"2" é o valor que está sendo passado para o item de entrada. No caso P7_COD_CLIENTE está sendo "setado" para o valor 2.

O último "NO" indica que a página não está no modo de impressão amigável. Para que esteja no modo de impressão, deve-se utilizar o valor "YES".

Achou complicado? Segue um quadro resumo com os componentes da URL em um mnemônico para gravar: “Apex programmers smartly request double cache in virtual programs”.

Anderson Rodrigues Ferreira, engenheiro de Computação formado pelo Instituto Militar de Engenharia; MBA em Gestão de TI pela Universidade Cândido Mendes; Pós-graduação em Criptografia e Segurança em Redes pela Universidade Federal Fluminense. Possui as certificações: Oracle Apex Developer Expert; Oracle Database SQL Expert e Professional Scrum Master. Foi professor universitário das disciplinas: Banco de dados, Projeto de sistemas, Projetos Orientado a Objetos, Java e Java para web. Participou da trilha Apex do ODTUG Kscope 2012 em San Antonio, Texas e ODTUG Kscope 2016 em Chicago, Illinois. Trabalhou como Engenheiro de Sistemas para o Exército Brasileiro por 6 anos participando do desenvolvimento de projetos de sistema de Comando e Controle, Radar e Guerra Eletrônica. É o atual vencedor da competição mundial de desenvolvimento de jogos em Apex (ODTUG Apex Gaming Competition). Atualmente, trabalha como gerente de desenvolvimento descentralizado do Tribunal de Contas da União utilizando a ferramenta Oracle Apex. É instrutor e consultor de projetos utilizando Oracle Apex. É coordenador do evento Oracle Developer Tour Latinoamérica. É palestrante da trilha de Apex de eventos relacionados a tecnologia Oracle tais como: Oracle Technology Network Tour (GUOB Tech Day), Oracle Developer Tour Latinoamérica, Oracle Apex Tour Latinoamérica palestrando em diversos países incluindo Uruguai, Argentina e Brasil. É coordenador regional do grupo de usuários Oracle do Brasil (GUOB) e membro do Grupo de usuários de ferramentas de desenvolvimento Oracle dos Estados Unidos (ODTUG).

Este artigo foi revisto pela equipe de produtos Oracle e está em conformidade com as normas e práticas para o uso de produtos Oracle.