Nenhum resultado encontrado

Sua pesquisa não corresponde a nenhum resultado.

Sugerimos que você tente o seguinte para ajudar a encontrar o que procura:

  • Verifique a ortografia da sua pesquisa por palavra-chave.
  • Use sinônimos para a palavra-chave digitada; por exemplo, tente “aplicativo” em vez de “software.”
  • Tente uma das pesquisas populares mostradas abaixo.
  • Inicie uma nova pesquisa.
Perguntas Frequentes

Coletando informações de diagnóstico usando Oracle Trace File Analyzer (TFA)

Revisado por Nestor Cayllahua

Por Y V Ravi Kumar,Mariami KupatadzeRodrigo Mufalani
Publicado em Janeiro 2020

Introdução:

Oracle introduziu TFA (Trace File Analyzer) na versão Oracle Database 11g Release 2 (11.2.0.4).

Você tem que rodar as ferramentas corretas, e no tempo correto e o TFA é uma delas . Você pode coletar dados para um cluster inteiro ou mesmo para um único nó do cluster usando apenas um comando. O arquivo gerado pode ser armazenado em um servidor central ou local para futura análise. A ferramenta também permite filtrar, um período de tempo ou em certos componentes, para focar a análise e obter um melhor e diagnóstico.  O TFA ganhou popularidade rapidamente e agora é uma das mais requesitadas ferramentas pelo My Oracle Support durante a análise de problemas. Ela está disponível para dowload em “TFA with Database Support Tools Bundle (Doc ID 1513912.1)”. O consume de recursos no sistema é bem pequeno. Mas, ele pode ser notado um leve consumo de CPU quando:

  • Realizando inventário dos arquivos de diagnóstico
  • Coletando diags

Arquitetura do TFA:

Quando o TFA está rodando com serviço (daemon), ele monitora logs para problemas significativos. Se erros internos ocorrerem (ex: ORA-00600) ou node evictions forem detectadas, o TFA pode:

  • Coletar um pacote necessário para análise automaticamente
  • Enviar um e-mail para o DBA, se estiver configurado
    • TFA pode enviar notificações quando problemas significantes são detectados;
    • Para enviar notificações de e-mail para qualquer problema detectado : tfactl set notificationAddress =ravikumar.yenugula@infolob.com
    • Automaticamente pode fazer upload dos diags para o suporte da Oracle, se estiver configurado.

    Por favor, note que, se você possui poucos recursos no seu sistema e muitos erros significantes ocorrerem nos logs do Oracle, pode notar que o processo do TFA está no topo do consumo de CPU ou de memória, isso porque durante a detecção de um problema ele irá rodar uma coleta de diagnóstico automática. Neste caso, ao invés de aumentar os recursos do seu sistema, você pode optar por desabilitar essa coleta automática na configuração do TFA. Os comandos correspondentes serão descritos na seção “Interfaces de Comando”.

    Benefícios do TFA:

    • Fornece uma interface para todos os dados de diagnóstico necessário ao nível de cluster
    • Coleta dados necessários através do cluster e consolida em um único lugar
    • Coleta todos os dados relevantes de diagnósticos no ponto do tempo onde ocorreram problemas e incidentes
    • Reduz o tempo requerido para obter dados de diagnóstico em um cluster.

    Instalando ou atualizando TFA Instalar ou atualizar o TFA depende se a ferramenta já está instalada em seu sistema ou não. A Oracle recomenda atualizar o TFA se ele for mais antigo que 180 dias.

    1. Download do pacote to TFA acessando essa nota Doc ID 1513912.1
    2. Configure ssh sem senha entre os database nodes para o usuário root. Se você não configurar, terá de rodar a instalação manual do TFA nos outros nodes manualmente.
    3. Coloque o arquivo baixado do TFA em um dos nodes (aqui, colocamos em rac1), e descompacte o mesmo 
      
      
      [root@rac1 ~]# cd /sw
      
      [root@rac1 sw]# unzip TFA-LINUX_v19.2.1 
      
      Archive: TFA-LINUX_v19.2.1
      
      inflating: README.txt              
      
      inflating: installTFA-LINUX
      
      
      
    4. Instale ou atualize o TFA: [root@rac1 sw]# ./installTFA-LINUX
    5. 5. Confira o status do TFA: [root@rac1 sw]# tfactl status

    Interface de comando Imprimir a configuração corrente em todos os nodes:

    [root@rac1 ~]# tfactl print config

    Como você pode ver pela saída do comando config (output), Automatic Diagnostic Collection está configurada como TRUE por padrão. Para mudar esse comportamento, execute o comando a seguir em cada um dos database nodes:.

    #tfactl set autodiagcollect=OFF Faa o mesmo no rac2:

    Realizando uma coleta de diagnósticos pontual: Para realizar uma coleta de diagnósticos pontual, você precisará rodar  tfactl diagcollect. Por padrão, o TFA irá coletar diagnósticos das últimas 12 horas.

    #tfactl diagcollect

    Para uma lista completa dos nomes dos componentes e parâmetros para coleta de diagnóstico, execute:

    
    
    # tfactl diagcollect  -help
    
      Usage: /u01/app/12.2.0/grid/bin/tfactl diagcollect [  [component_name1] [component_name2] ... 
      [component_nameN] | [-srdc  <srdc_profile>] | [-defips]] [-sr <SR#>] [-node  
      <all|local|n1,n2,..>] [-tag <tagname>] [-z <filename>] [-last  <n><h|d>| -from <time> -to 
      <time> | -for <time>]  [-nocopy] [-notrim] [-silent] [-nocores][-collectalldirs][-collectdir  
      <dir1,dir2..>][-examples]
    
      components:-ips|-database|-asm|-crsclient|-dbclient|-dbwlm|-tns|-rhp|-procinfo|-afd|-crs|
      -cha|-wls|-emagent|-oms|-ocm|-emplugins|-em|-acfs|-install|-cfgtools|-os|-ashhtml|-ashtext|
      -awrhtml|-awrtext
    
    
    

    Para uma lista completa de opções de comandos para o tfactl, execute:

    
    
    # tfactl -help
    
      Usage: /u01/app/12.2.0/grid/bin/tfactl <command> [options]
    
      commands:diagcollect|collection|analyze|ips|run|start|stop|enable|disable|status|print|
      access|purge|directory|host|receiver|set|toolstatus|uninstall|diagnosetfa|syncnodes|
      setupmos|upload|availability|rest|events|search|changes|isa|blackout|rediscover
    
    Para uma ajuda detalhada para cada comando use::
    
        /u01/app/12.2.0/grid/bin/tfactl <command> -help
    
    
    
    

    Diretórios chave do TFA

    • tfa/bin Contém as interfaces de linha de comando tfactl (tfactl está também em $GRID_HOME/bin se o Oracle Clusterware estiver instalado)
    • tfa/repository Onde o Oracle Trace File Analyzer armazena suas coletas
    • tfa/<node>/tfa_home/database Contém o Berkeley DB que armazena os dados sobre o sistema
    • tfa/<node>/tfa_home/diag Ferramentas de troubleshooting do Oracle Trace File Analyzer
    • tfa/<node>/tfa_home/diagnostics_to_collect Coloque os arquivos aqui para incluir eles na próxima coleta, então tenha eles deletados após.]
    • tfa/<node>/tfa_home/log Contém os logs sobre as operações realizadas pelo Oracle Trace File Analyzer
    • tfa/<node>/tfa_home/resources Contém resource files, por exemplo, log masking control file
    • tfa/<node>/tfa_home/output Contém metadados extra sobre o ambiente

    Service Request Data Collection (SRDC)

    • Para certos tipos de problemas o Oracle Support irá solicitar a você que excute um Service Request Data Collection (SRDC)
    • Previamente o que está envolvido:
      • Ler muitos documentos de suporte diferentes de todos os tipos 
      • Coletar os dados de saída de muitas tarefas diferentes
      • Coletar muitos dados de diagnóstico
      • Empacotar e enviar para o Oracle support
    • Para isso, execute o comando : tfactl diagcollect -srdc <srdc_type> Exemplo-1: ORA4031: tfactl diagcollect –srdc ora4031
      • IPS Package
      • Patch Listing
      • AWR report
      • Memory information
      • RDA
      Exemplo-2: Database Performance tfactl diagcollect –srdc dbperf
      • ADDM report
      • AWR for good and problem period
      • AWR Compare Period report
      • ASH report for good and problem  period
      • OS Watcher
      • IPS Package (if errors during problem period)
      • ORAchk (performance related checks)

    Limpeza Automática de Database logs

    • O TFA pode automaticamente purgar os database logs
      • Essa opção vem OFF por padrão
      • Exceto no Domain Service Cluster (DSC), que vem como ON por padrão
    • Ligando ou desligando auto purging:: tfactl set manageLogsAutoPurge=<ON|OFF>
    • Irá remover os logs mais velhos que 30 dias tfactl set manageLogsAutoPurgePolicyAge=<n><d|h>

      A limpeza roda a cada 60 minutes, você pode ajustar

      tfactl set manageLogsAutoPurgeInterval=<minutes>

    Limpeza Manual de Database logs

    O TFA pode gerenciar os logs do ADR e trace files

    • Mostrar o uso de espaço em disco para um destino de diagnósticos individual
    • Limpar esses arquivos com base nos tipos ou localização ou até mesmo idade dos arquivos:
      • "ALERT“, "INCIDENT“, "TRACE“, "CDUMP“, "HM“, "UTSCDMP“, "LOG“
      
      
      			tfactl managelogs <options>
      	      
      	      ♦ tfactl managelogs –show usage
      	      ♦ tfactl  managelogs –show variation –older <n><m|h|d>
      	      ♦ tfactl  managelogs –purge –older n<m|h|d> -dryrun
      	    ♦ tfactl  managelogs –purge –older n<m|h|d>
      		

    Disk Usage Snapshots

    • O TFA irá rastrear o uso de disco e guardar snapshots em: tfa/repository/suptools/<node>/managelogs/usage_snapshot/
    • Os snapshots ocorrem a cada 60 minutos tfactl set diskUsageMonInterval=<minutes>
    • Monitoramento do uso de disco vem ligado por padrão (ON) tfactl set diskUsageMon=<ON|OFF>
    • Mostra detalhes sobre os incidentes registrados no ADR tfactl ips show incidents
    • Mostra detalhes sobre problemas registrados no ADR tfactl ips show problems
    • Mostra detalhes sobre pacotes registrados no ADR tfactl ips show package

    Ciclo de vida do TFA

    • Start the daemon: tfactl start
    • Stop the daemon: tfactl stop
    • Enable auto restart of the daemon: tfactl enable
    • Disable auto restart of the daemon: tfactl disable

    TFA – Gerenciamento do repositório e coleções

    • O repositório irá fechar e coletas irão parar se qualquer desses fatos ocorrerem:
      • Espaço livre na TFA_HOME for menor que 100 MB
        • Irá parar de indexar
      • Espaço livre na ORACLE_BASE for menor que 100 MB
        • Irá parar de indexar
      • Espaço livre no Repositório for menor que 1 GB
      • O Repositório atual for maior que max size configurado para o repositório
    • O serviço (daemon) irá limpar o repositório quando:
      • Espaço livre cair abaixo de 1GB
      • Antes de fechar o repositório

    TFA – Gerenciado o Repositório por linha de comando

    • Mostra o status do repositório do TFA tfactl print repository
    • Mostra as estatísticas sobre as coletas tfactl print collections
    • Confirgura o quão grande pode ser o repositório tfactl set reposizeMB=<value>
    • Muda a localização do repositório tfactl set repositorydir=<dir>
    • Configura a idade mínima para as coletas tfactl set minagetopurge=<number of hours>
    • Desliga a limpeza automática tfactl set autopurge=<ON|OFF>
    • Limpa todas as coletas manualmente tfactl purge -older x[h|d] [-force]

    Mudando as opções de Secure Socket Layer (SSL)

    Os daemons usam SSL/TLS nas portas 5000 até 5005. Para mudar essas portas :

    1. Pare o TFA em todos os nodes:
      tfactl print hosts   tfactl stop
    2. Edite o $TFA_HOME/internal/usableports.txt para configurar as portas que deseja usar
    3. Copie o arquivo usableports.txt em todos os nodes do cluster
    4. Remova o arquivo $TFA_HOME/internal/port.txt de todos os nodes do cluster
    5. Inicie o TFA em todos os nodes:
      tfactl start

    Mude os diretórios que Change Which Directories Get Collected

    • Mostrar o diretório atual das coletas :   tfactl print directories <options>
    • Add diretórios:                                    tfactl directory add <dir> <options>
    • Mudar como um diretório é coletado:  tfactl directory modify <dir> <options>
    • Parar a coleta para um diretório :         tfactl directory remove <dir> <options>

    Reduzir o tamanho das coletas

    • Mostrar a configuração atual: tfactl print config
    • Configurar um parâmetro: tfactl set <parameter>=<value>
      • trimfiles - ON
      • maxcorefilesize – 20 MB
      • maxcorecollectionsize – 200 MB

    TFA - Add ou Remover um Host

    • Ver todos os hosts que o TFA conhece: tfactl print hosts
    • Add um novo host para o configuração pela primeira vez: tfactl syncnodes
    • Add um host onde o certificado já foi sincronizado tfactl host add <host>
    • Remover um host tfactl host remove <host>

    TFA – Setup MOS

    • Configuração do TFA para envio dos arquivos de coleta para anexar a uma SR. Primeiro passo é configurar, depois podemos usar para enviar arquivos para uma SR.
    • tfactl setupmos

      Enter User Id: ravikumar.yenungula@ingolob.com Enter Password: ************ tfactl diagcollect -srdc ORA-07445 -sr 3-11253233331 -user ravikumar.yenungula@ingolob.com

      tfactl upload -sr 3-11253233331 -user ravikumar.yenungula@ingolob.com sr1.zip sr2.zip

    TFA – Plataformas suportadas e versões

    • Todas os maiores sistemas operacionais são suportados
      • Linux (OEL, RedHat, SUSE, Itanium & zLinux)
      • Oracle Solaris (SPARC & x86-64)
      • IBM AIX
      • HPUX (Itanium & PA-RISC)
      • Windows (64bit)
    • Todos os Oracle Database e Grid desde a versão 10.2.0 são suportadas

    TFA – Instalação no Linux

    1. Download no MOSC 1513912.1
    2. Copie para um node e unzip
    3. Execute o seguinte comando: ./installTFA<platform>
      • Instala em todos os nodes
      • Auto discover de relevantes softwares e Exadata Storage Servers
      • Inicie o monitoramento para problemas e realiza coletas automatizadas

    TFA – Instalação no Windows

    1. Download no MOSC 1513912.1
    2. Copiar para um node e descompacte
    3. Abra um prompt de comando (DOS) como administrador e execute o seguinte comando:

      install.bat –perlhome <perl_home>

      • Pergunta por instalação local ou uma instalação em cluster e instala remotamente se requerido
      • Auto discover de relevantes Oracle Software
      • Inicia o monitoramento para os problemas e realiza coletas automatizadas

    Conclusão: Considere usar o Trace File Analyzer (TFA) manualmente ou em um período de menor atividade. TFA irá mostrar status de informações em tempo real ao nível de cluster.

    Y V RaviKumar é um Oracle ACE e Oracle Certified Master (OCM) com 18 anos de experiência em instituições financeiras, serviços financeiros e seguros (BFSI) e atuou em diversos papeis como Senior Database Architect e Production DBA. Ele também é OCP em Oracle 8i, 9i, 10g, 11g & 12c e Certificado em Golden Gate, RAC, Performance Tuning& Oracle Exadata. Ele continua motivando muitos DBAs e ajudando a Oracle Community publicando suas dicas /ideias/sugestões/soluções em seu blog. Ele escreveu 40+ artigos OTN sobre Oracle Exadata, Oracle RAC e Oracle GoldenGate para a OTN em Espanhol, OTN em Português e OTN em inglês e 19 artigos para a TOAD World, 2 Artigos para o UKOUG, 3 Artigos para OTech Magazine e 2 Artigos para a Redgate. Ele é membro do AllIndia Oracle UserGroup (AIOUG) e frequente Oracle speaker in @NYOUG, @OTN, AIOUG, Sangam e IOUG. Ele desenha, projeta e implementa Core Banking System (CBS) Databases para o Central Banks em dois países – India e Mahe, Seychelles. Ele é Co-Founder do OraWorld (www.oraworld.com). Leia mais sobre o seu perfil na LaserSoft. Mariami Kupatadze é uma Oracle Certified Master desde 2016. Ela é a primeira OCM em seu país, Georgia. Mari também é membro do ACE program. Ela é Senior Solutions Architect na FlashGrid Inc. Ela tem mais de 10 anos de experiência em Database Administration e ela vem trabalhando totalmente para 20 empresas durante sua carreira. Ela é altamente especializada em Exadata, Oracle 10g, 11g, 12c, 18c e19c Databases, RAC, Data Guard, Golden Gate, Database Optimization e Tuning, EM, Cloud Control, Backup e Recovery, Database Migrations, Oracle Cloud IaaS, Oracle Database Security, Oracle Audit Vault and Database Firewall, Linux Administration. Ela publicou muitos artigos na OraWorld e-magazine. Mari é palestrante de eventos como APAC Oracle Users Groups Community (APACOUC) e Luxembourg Oracle Users Group (LUXOUG). Ela é blogger desde 2010, publicou 279 posts sobre sua experiência com Oracle e Linux. Seu blog, dba010.com, entrou na lista dos Top 60 Oracle blogs. Rodrigo Mufalani é um Oracle ACE member e Oracle Certified Master (OCM) com 15 anos de experiência, começou com o Oracle 8i, mas teve a oportunidade de dar suporte a Oracle 7.3.4 em diante. É especialista em banco de dados Oracle com foco principal em Engineered Systems, MAA,  Performance & Tuning. Ele é fundador, presidente e também palestrante do LuxOUG. É palestrante em eventos de Oracle como: OTN LAD TOUR e OTN EMEA TOUR e outros. Atualmente trabalha como Principal DBA na eProseed. Twitter @mufalani / blog Mufalani.worpress.com

    Este artigo foi revisto pela equipe de produtos Oracle e está em conformidade com as normas e práticas para o uso de produtos Oracle.