12 principais desafios de RH no setor de saúde para solucionar em 2023

Mark Jackley | Estrategista de conteúdo | 17 de março de 2023

Os provedores de saúde enfrentam grandes desafios em recursos humanos. Mesmo antes da pandemia de COVID-19 sobrecarregar o setor, hospitais, clínicas, consultórios médicos e outros provedores lutavam contra a escassez de médicos e enfermeiros, taxas de retenção de funcionários em declínio, esgotamento de profissionais e custos trabalhistas crescentes. Se não forem corrigidos, esses desafios podem colocar em risco a saúde e até a vida dos pacientes, bem como o bem-estar emocional dos funcionários e a integridade fiscal dos sistemas de saúde.

Embora a lista de desafios de RH do setor seja longa, as soluções estão inter-relacionadas — a melhoria em uma área pode levar ao aprimoramento em outra. Por exemplo, um melhor treinamento pode ajudar os profissionais de saúde a reter funcionários, aumentar a segurança no local de trabalho e cumprir as leis de privacidade.

Aqui discutimos os doze principais desafios de RH que os profissionais de saúde enfrentam hoje, bem como estratégias e melhores práticas para superá-los.

O que o RH faz na área da saúde?

No setor de saúde, como em muitos outros setores, as equipes de RH são responsáveis por mais do que contratar funcionários e gerenciar benefícios. As equipes de RH da área de saúde também gerenciam programas de treinamento e desenvolvimento. Elas ajudam a aplicar medidas de segurança que protegem pacientes e trabalhadores. E desempenham um papel fundamental na proteção da privacidade dos registros de pacientes e colaboradores. As equipes ajudam a desenvolver planos de remuneração que vão além de salários e benefícios. Também ajudam a criar políticas de programação de turnos para proteger os profissionais de possíveis esgotamentos. E contribuem para políticas e programas que melhoram a satisfação dos pacientes.

Principais conclusões

  • O desafio nº 1 de RH na área da saúde é atrair e reter funcionários em um mercado de trabalho competitivo definido por uma enorme escassez de talentos.
  • A falta de pessoal não só causa desgaste e rotatividade de funcionários, mas também prejudica os esforços dos profissionais de saúde para melhorar a satisfação dos pacientes, a conformidade regulatória e a segurança dos pacientes e dos colaboradores.
  • As equipes de RH devem ser criativas para equilibrar as necessidades dos funcionários – tudo, desde melhores salários e benefícios até flexibilidade de horários e acesso a novas tecnologias – com a necessidade de reduzir os crescentes custos trabalhistas.

12 desafios de RH em saúde

Os desafios mais espinhosos enfrentados pelos profissionais de RH estão, como é de se esperar, relacionados aos seres humanos. Contratar, reter e desenvolver funcionários são desafios em si, e o progresso em qualquer uma dessas áreas ajudará a superar desafios mais amplos, como melhorar os resultados dos pacientes e cumprir os regulamentos de dados.

1. Pessoal

Em um relatório de 2021, a Association of American Medical Colleges revelou que os EUA podem enfrentar uma escassez de 124.000 médicos até 2034. O relatório projetava uma escassez de quase 50.000 médicos de cuidados básicos até 77.000 especialistas.

A tecnologia pode ajudar as equipes de RH a gerenciar o pessoal. Os sistemas de gerenciamento de capital humano (HCM) em nuvem oferecem aos provedores de saúde uma visão em tempo real das necessidades atuais e futuras de pessoal, enquanto os sistemas de planejamento de recursos empresariais os ajudam a planejar orçamentos para manter ou aumentar o número de funcionários. A tecnologia também pode melhorar a prestação de serviços de RH, por exemplo, ao permitir que os candidatos se inscrevam em vagas em seus dispositivos móveis, o que acelera o processo de seleção de candidatos, agendamento de entrevistas e apresentação de ofertas antes dos concorrentes em um mercado aquecido.

2. Esgotamento

A Mayo Clinic define esgotamento como uma forma de estresse relacionado ao trabalho: “um estado de exaustão física ou emocional que também envolve uma sensação de realização reduzida e perda de identidade pessoal”. Em uma pesquisa da American Medical Association, metade de todos os entrevistados, incluindo 56% dos enfermeiros, relataram ter pelo menos um sintoma de estafa. Um terço relatou altos níveis de ansiedade ou depressão, e 25% dos médicos entrevistados disseram que planejam deixar sua prática dentro de dois anos.

Para reduzir a fadiga, as equipes de RH do setor de saúde precisam incorporar a saúde e o bem-estar dos funcionários aos valores centrais de suas organizações. Para traduzir esses valores em ação, o RH também deve adotar a análise de dados para melhorar o planejamento, a equipe e a programação, respondendo a perguntas como: quantos recursos e leitos foram consumidos nos últimos três meses? Qual é a probabilidade de os pacientes retornarem ao hospital ou estenderem a internação? E como podemos evitar a escassez de recursos durante o pico da temporada de gripe? A análise também pode ajudar as equipes de RH a identificar os fatores que levam os colaboradores a permanecer ou sair. Além da análise, as tecnologias digitais ajudam os trabalhadores a permanecerem conectados e podem aliviar o estresse, tornando mais fácil e eficiente lidar com tarefas rotineiras, incluindo verificação de agendas, acesso a registros pessoais e realização de pesquisas de satisfação no trabalho, a qualquer hora, em algum lugar ou dispositivo.

3. Retenção de funcionários

A escassez de pessoal e o esgotamento dos funcionários afetam negativamente a retenção. Nos Estados Unidos, a taxa média de rotatividade de trabalhadores de hospitais em 2021 foi de 25,9%, um aumento de 6,4 pontos percentuais em relação ao ano anterior, de acordo com a empresa NSI. Nos últimos cinco anos, o hospital médio passou por uma rotatividade de 100% da equipe.

As demissões voluntárias representaram 95,5% de todos os desligamentos em hospitais em 2021. Ao contrário das indústrias em que as linhas de produção podem ser fechadas ou uma porcentagem dos pedidos recusada, a saúde precisa preencher turnos para manter o atendimento aos pacientes. Se a escassez de pessoal leva a horas extras obrigatórias, os trabalhadores vão embora, indo atrás para empregadores com melhores condições de trabalho ou optando pelo desemprego temporário ou mesmo pela aposentadoria precoce. Os médicos jovens estão deixando seus empregos duas vezes mais rápido que os médicos mais velhos, e quase um terço dos enfermeiros recém-contratados saem em um ano, de acordo com o estudo da NSI.

Para melhorar a retenção, as equipes de RH devem ir além de melhorar o pagamento e o cronograma. Algumas organizações de saúde estão tentando criar uma cultura mais convidativa, inclusive relaxando seu código de vestimenta. O Calvert Health System, um hospital em Maryland, nos EUA, lançou um programa que usa um algoritmo de software para ajudar a identificar e corrigir problemas no local de trabalho. O programa permite que os funcionários relatem anonimamente dificuldades como violação de regras, erros médicos e conflitos de pessoal, fornecendo uma série de informações que ajudam o RH a resolver os obstáculos antes que eles prejudiquem a retenção.

4. Programação e gerenciamento

Quando os funcionários estão sobrecarregados ou sentem que não têm controle sobre seus turnos e horários, o resultado geralmente é o esgotamento, o atendimento ao paciente abaixo da média e a alta rotatividade. Ao ajudar as equipes da empresa a gerenciar melhor os cronogramas, o RH também pode ajudar a reter talentos.

Tradicionalmente, as empresas de assistência médica usavam planilhas para gerenciar os cronogramas da equipe, um processo manual tedioso. Hoje, o software de programação facilita o processo, economizando tempo e melhorando a experiência do funcionário. Os trabalhadores recebem notificações automáticas, incluindo mensagens sobre mudanças de horário, em seus dispositivos móveis. O melhor software torna mais fácil para os funcionários solicitarem folgas ou trocar turnos com um colega de trabalho. Os gerentes podem criar programações diárias ou semanais em minutos. A análise de cronogramas pode mostrar aos gerentes quando um membro da equipe está sobrecarregado - por exemplo, identificando aqueles que sempre faltam aos intervalos ou trabalham além do horário normal - e fornece informações que podem ajudar as organizações a melhorar as condições gerais de trabalho.

5. Melhorando a satisfação dos pacientes

A satisfação dos pacientes é uma questão de RH porque está intimamente ligada ao desempenho dos funcionários. Se os médicos estão sempre atrasados para as consultas, os enfermeiros tratam os pacientes sem consideração ou a equipe da recepção não ajuda a marcar consultas ou responder a perguntas, a satisfação do paciente é prejudicada. Um estudo do National Institutes of Health mostrou que 39% das pessoas evitavam ir ao médico por causa de más experiências anteriores.

Por meio de pesquisas, reuniões em pequenos grupos ou recursos de feedback embutidos em seus sistemas de HCM, o RH precisa identificar os principais problemas que afetam o desempenho dos funcionários, sejam eles excesso de horários, salários baixos, tecnologia desatualizada ou outros fatores. Ao consertar o que está atrapalhando a satisfação do funcionário, o RH pode ajudar a aumentar a satisfação do paciente.

6. Mantendo a conformidade dos registros

O RH é responsável por definir políticas e procedimentos para manter a conformidade com os regulamentos que regem os dados dos pacientes. De acordo com a Lei de Portabilidade e Responsabilidade de Seguros de Saúde, o setor de saúde dos EUA deve atender a padrões rígidos de coleta de dados de pacientes, armazenamento de prontuários, acesso a registros e muito mais. O não cumprimento pode levar a multas de até US$ 1,5 milhão por ano.

O RH deve ajudar criando uma cultura de conformidade, trabalhando em estreita colaboração com as equipes jurídicas e de TI da organização para proteger os registros médicos. Com a ajuda do RH, uma organização de saúde pode decidir quem deve ter acesso a informações confidenciais, o que acontece quando um funcionário viola uma política e onde as políticas e procedimentos serão mantidos e atualizados conforme necessário. Ao estabelecer abordagens inteligentes para a conformidade regulatória, incluindo treinamento para todos os colaboradores, o RH ajuda a proteger a organização contra penalidades financeiras e processos judiciais e alivia a carga administrativa geral.

7. Treinamento e desenvolvimento

Um programa abrangente de treinamento e desenvolvimento tem uma variedade de benefícios, incluindo maior retenção de pessoal, melhor conformidade legal e melhor atendimento aos pacientes. Mas, de acordo com a Association for Talent Development, em média, os profissionais de saúde gastam 34% menos tempo em treinamento por ano do que os trabalhadores de outras indústrias devido à natureza do trabalho por turnos e à grande variedade de cargos, habilidades e certificações.

Dada a gravidade da escassez de pessoal e do esgotamento dos funcionários, as organizações de saúde precisam investir em todos os tipos de treinamento e desenvolvimento. O treinamento em segurança e conformidade regulamentar beneficia todos os trabalhadores. O treinamento especializado para enfermeiros e administradores melhora o atendimento ao paciente e a experiência do funcionário. Planos de desenvolvimento bem definidos colocam os funcionários em caminhos de carreira viáveis. É especialmente importante que os funcionários em hospitais e outros locais de trabalho que funcionam 24 horas por dia, 7 dias por semana, tenham acesso a ferramentas de treinamento funcional, quando e onde precisarem. A tecnologia pode desempenhar um papel importante aqui, desde tornar o treinamento e o desenvolvimento acessíveis de qualquer dispositivo até o fornecimento de um sistema de rastreamento online que envia alertas automáticos quando os prazos de treinamento se aproximam.

8. Segurança de pacientes e funcionários

Na maioria dos casos, as causas da baixa segurança do paciente não são intencionais, resultado de treinamento insuficiente dos funcionários ou falha em seguir os procedimentos. Ao abordar alguns dos outros principais desafios da área da saúde - escassez de pessoal, esgotamento, excesso de horas extras e treinamento inadequado - o RH também pode ajudar a melhorar a segurança e o bem-estar dos pacientes.

A segurança dos funcionários é ameaçada pelos riscos inerentes ao trabalho. De acordo com o Bureau of Labor Statistics dos EUA, os profissionais de saúde enfrentam um alto risco de lesões em suas atividades, como cortes por objetos pontiagudos, exposição a produtos químicos e drogas e lesões nas costas, com mais de 600.000 trabalhadores feridos a cada ano. A ameaça contínua da COVID-19 e de outras doenças infecciosas aumenta consideravelmente os riscos. Além disso, a ameaça de agressões no local de trabalho contra profissionais de saúde é quatro vezes maior do que para funcionários de outros setores, informa a Administração de Saúde e Segurança Ocupacional dos EUA (OSHA). Além da segurança física, o bem-estar emocional é um desafio. Uma pesquisa mostrou que um em cada quatro trabalhadores da saúde experimentou ou testemunhou níveis inseguros de sofrimento emocional no emprego.

Não há solução mágica. O RH é responsável por treinar novos contratados sobre os padrões de segurança estabelecidos pela OSHA e por sua própria organização e por garantir que os gerentes criem um ambiente de trabalho seguro. Também deve revisar e atualizar as políticas e os procedimentos de segurança regularmente e trabalhar com o gerenciamento de instalações para auditar possíveis riscos durante o expediente.

9. Remuneração competitiva

Os gerentes de RH encontram muitos obstáculos em sua busca pelos melhores médicos, enfermeiros e funcionários administrativos. Os profissionais médicos muitas vezes assinam acordos de não concorrência que exigem um longo período de aviso prévio antes de poderem aceitar um novo emprego. Se o seu estabelecimento estiver localizado em uma área remota, a equipe de que você mais precisa - médicos e enfermeiros especializados - pode não estar interessada em se mudar para lá.

Por essas e outras razões, é crucial oferecer um pacote de remuneração e benefícios atraente, comparado aos oferecidos por concorrentes diretos. Além de, pelo menos, igualar o salário que os concorrentes oferecem, os empregadores também devem oferecer benefícios padrão, como seguro saúde, incluindo odontológico e oftalmológico, e um plano de previdência. Mas isso é só o essencial. Dependendo dos cargos que desejam preencher, as equipes de RH da área da saúde devem pensar em expandir os benefícios para incluir creche, programas de saúde mental, academias, assistência para reembolso de empréstimos estudantis e benefícios de transporte, como custear o valor do transporte público.

10. Melhorando a marca do empregador

Está mais fácil do que nunca para os candidatos pesquisar empregadores graças ao Glassdoor e outras fontes online, apresentando um desafio e uma oportunidade para os provedores de saúde. Para persuadir os melhores talentos a considerar ingressar em sua organização, as equipes de RH devem trabalhar com marketing para criar uma marca empregadora atraente.

Os especialistas alertam que uma boa marca é uma marca honesta. Como é realmente trabalhar na sua organização? Do que as pessoas gostam e o que a instituição está fazendo para trazer melhorias contínuas? Uma dica: deixe os funcionários contarem sua história - a história deles, na verdade -, descrevendo não apenas o que eles fazem, mas como é a sensação de ir trabalhar. Se o seu ambiente de trabalho é acelerado, faça disso uma parte da história para atrair candidatos que prosperam com entusiasmo. Se você conseguiu reter trabalhadores com taxas acima da média, certifique-se de comunicar por que as pessoas permanecem, seja por estabilidade, gerenciamento atencioso, emprego desafiador, vínculos estreitos com colegas de trabalho ou outro fator.

11. Custos com mão de obra e folha de pagamento

O aumento dos custos trabalhistas faz aumentar também os desafios financeiros enfrentados pelos sistemas de saúde dos EUA. Um relatório da Kaufman Hall (PDF) revela que os custos trabalhistas da indústria aumentaram em mais de um terço desde o início da pandemia de COVID-19. A mão de obra contratada é um grande motivo, agora representando 11% dos custos totais de mão de obra nos sistemas de saúde. Os salários médios por hora para enfermeiros contratados aumentaram drasticamente, um aumento de 106% de 2019 a 2022.

Existem várias maneiras pelas quais os empregadores no setor de saúde podem reduzir os custos de mão de obra e folha de pagamento e, ao mesmo tempo, oferecer uma remuneração competitiva. Analise o valor de horas extras e outros adicionais, como jornada dupla e tripla, para identificar os departamentos que rotineiramente pagam mais. Revise sua estrutura de gerenciamento e corte cargos onde for possível. Isso não apenas economizará dinheiro, mas também mostrará aos funcionários da linha de frente que a administração não está isenta de medidas de corte de custos. Talvez o mais importante, sempre que possível, diminua sua dependência de trabalhadores contratados - serviços de enfermagem itinerantes e outros colaboradores temporários - que normalmente obtêm um adicional de mercado e são caros para substituir.

12. Mantendo-se atualizado sobre as tecnologias mais recentes

A tecnologia está transformando a saúde tanto quanto qualquer outra indústria. Médicos e enfermeiros agora atendem pacientes remotamente, especialmente idosos que são muito vulneráveis, economizando tempo e melhorando a segurança. Os registros médicos são digitalizados há muito tempo e a equipe clínica pode coletar dados, às vezes em tempo real, de dispositivos wereable ou incorporados dos pacientes.

No entanto, como a tecnologia médica continuou avançando, muitos profissionais clínicos não acompanharam, pois certos sistemas vêm com uma curva de aprendizado acentuada. As equipes de RH precisam fornecer treinamento obrigatório sobre novos sistemas médicos e facilitar para quem trabalha por turnos encontrar tempo para concluir os cursos. Contratar funcionários com experiência em tecnologia é uma boa ideia, embora em um mercado de trabalho apertado, os empregadores nem sempre possam ser exigentes.

Oracle Healthcare HCM: A receita para seus desafios de RH

As equipes de RH da área da saúde precisam de tecnologias poderosas para lidar com sua longa lista de desafios, não de uma confusão de sistemas desconectados.

O Oracle Fusion Cloud Human Capital Management (HCM) permite que os provedores de serviços de saúde planejem, criem, gerenciem e otimizem os processos de RH que dão suporte a uma cultura solidária, que ajuda a evitar o esgotamento dos funcionários e reduzir a rotatividade. Uma solução completa que conecta todos os processos de RH em um sistema de saúde, fornece uma fonte de dados comum para ajudar as equipes a tomar melhores decisões e ficar à frente das necessidades crescentes da força de trabalho.

Melhore as oportunidades de crescimento para médicos e não médicos e facilite o aprendizado de novas habilidades para os funcionários com aprendizado personalizado baseado em funções, gerenciamento de desempenho intuitivo e ferramentas de desenvolvimento de carreira - tudo em um só lugar. Crie planos de pessoal que melhorem o desempenho e o atendimento aos pacientes enquanto aliviam o esgotamento. Melhore o autoatendimento ao permitir que os funcionários acessem os sistemas de RH, incluindo seus próprios registros, no trabalho ou em casa por meio de dispositivos móveis. Use a automação para contratar mais rapidamente e conseguir os melhores candidatos, e conte com ferramentas de comunicação online para obter feedback dos funcionários e criar um ambiente colaborativo e conectado que incentiva a permanência.

Perguntas frequentes sobre os principais desafios de RH em saúde

O que o RH faz em saúde?
As organizações de RH da área da saúde vão muito além do gerenciamento de contratações, integração, folha de pagamento e outras funções tradicionais. Elas também ajudam as pessoas a terem sucesso como ótimos médicos, empresários ou colegas. No atual mercado de trabalho acirrado do setor de saúde, o RH desempenha um papel crucial na redução do esgotamento e da rotatividade de pessoal, impulsionando programações aprimoradas, treinamento abrangente e remuneração competitiva.

Qual das principais atividades de RH é mais desafiadora na área da saúde?
O maior desafio de RH na área da saúde é atrair e reter pessoas talentosas – em particular, médicos e enfermeiros especializados – em meio à contínua escassez de profissionais da indústria.

Quais são os principais objetivos do RH na área da saúde?
Entre os muitos objetivos dos profissionais de RH da área da saúde estão encontrar e manter os talentos certos, ouvir e defender os funcionários em trabalhos estressantes, manter a conformidade com as leis de privacidade e outros regulamentos e garantir que os funcionários em todos os cargos recebam o treinamento que precisam para se destacarem em suas funções e progredirem em suas carreiras.

Captura de tela Solicite uma demonstração do HCM

Descubra como o Oracle Cloud HCM oferece a solução HCM na nuvem mais completa e unificada