16 maneiras de melhorar a sustentabilidade da cadeia de suprimentos

Amber Biela-Weyenberg | Estrategista de Conteúdo | 15 de agosto de 2023

A sustentabilidade da cadeia de suprimentos afeta os esforços ambientais, sociais e de governança (ESG) de uma empresa em um nível fundamental. A cadeia de suprimentos abrange quase todos os aspectos de ESG: sustentabilidade ambiental, que inclui reciclagem, diminuição do consumo de combustíveis fósseis e redução de resíduos; progresso social, que inclui combater a desigualdade salarial entre os gêneros, usar práticas equitativas de contratação, remuneração e promoção, pagar um salário digno e tornar os locais de trabalho mais seguros; e governança, que inclui a conformidade com as regulamentações que abrangem todas essas práticas.

Em média, uma empresa herda a maior parte do impacto de ESG, ou pegada ESG, de seus fornecedores, de acordo com a McKinsey. A partir de 2022, mais de 90% das emissões de gases com efeito de estufa de uma organização média – a produção de gases como o dióxido de carbono (CO2) que retêm o calor na atmosfera da Terra – provêm da cadeia de abastecimento, segundo a Agência de Proteção Ambiental dos EUA. As violações dos direitos humanos, o desmatamento, a poluição e outras preocupações de sustentabilidade também estão ligadas aos recursos que uma empresa usa para fabricar ou obter materiais e produtos, bem como transportá-los ao longo da cadeia de abastecimento.

As empresas podem melhorar a sustentabilidade da cadeia de suprimentos rastreando melhor as origens dos materiais e bens, melhorando a eficiência da execução da cadeia de suprimentos e aperfeiçoando as políticas, o uso da tecnologia e os relacionamentos com fornecedores.

Principais conclusões

  • A sustentabilidade da cadeia de suprimentos se refere ao impacto que as operações relacionadas de uma empresa têm no planeta e na sociedade.
  • As formas de melhorar a sustentabilidade da cadeia de suprimentos incluem a redução das emissões de gases nocivos, produzindo e transportando mercadorias e garantindo que os fornecedores e parceiros façam o mesmo.
  • Como as empresas gerenciam a sustentabilidade da cadeia de suprimentos principalmente por meio de auditorias de fornecedores e parceiros, os profissionais da cadeia de abastecimento devem entender como os negócios com cada fornecedor podem impactar o planeta e a sociedade.
  • É mais provável que as empresas melhorem a sustentabilidade da cadeia de suprimentos se definirem metas, acompanharem métricas e usarem dados e análises para informar os ajustes do processo.

16 maneiras de melhorar a sustentabilidade da cadeia de suprimentos em 2023

A sustentabilidade da cadeia de suprimentos se refere ao impacto que as operações relacionadas de uma empresa têm no planeta e na sociedade. Os profissionais da cadeia de suprimentos desempenham um papel fundamental para ajudar suas empresas a se tornarem mais sustentáveis, minimizando os danos ao meio ambiente e combatendo a desigualdade social. Eles estão comprometidos com a criação de cadeias de suprimentos mais sustentáveis, geralmente como parte das metas ESG mais amplas de uma empresa.

Os benefícios da sustentabilidade da cadeia de suprimentos incluem custos reduzidos, melhor continuidade do fornecimento e uma reputação mais sólida da empresa. Em uma pesquisa realizada pela EY em 2022, com 525 executivos da cadeia de suprimentos, os principais motivos para melhorar a sustentabilidade da cadeia de suprimentos incluíram o crescimento potencial da receita e a pressão de parceiros, clientes e funcionários.

Os profissionais da cadeia de suprimentos devem equilibrar as prioridades comerciais ao tomar decisões que afetam as operações. Por exemplo, a equipe da cadeia de suprimentos de um fabricante pode decidir trocar o algodão tradicional pelo orgânico, que requer menos água para ser cultivado, com o intuito de atingir a meta de ESG da empresa de reduzir os danos ambientais usando materiais sustentáveis.

Conheça 16 das principais maneiras de melhorar a sustentabilidade da cadeia de suprimentos.

1. Reduza as emissões de transporte e logística

Globalmente, o transporte é o setor que mais depende de combustíveis fósseis não renováveis (como carvão, petróleo e gás natural) e emitem gases de efeito estufa quando usados, de acordo com a Agência Internacional de Energia. E, nos Estados Unidos, o transporte é o principal contribuinte para as emissões de gases de efeito estufa, de acordo com a Agência de Proteção Ambiental dos EUA. Portanto, a redução das emissões de gases produzidas pelo transporte é essencial para melhorar a sustentabilidade da cadeia de suprimentos.

As empresas podem fazer isso solicitando materiais, peças e produtos com mais eficiência. Por exemplo, fazer um grande pedido a um fornecedor em vez de vários pedidos menores provavelmente ajuda a diminuir o número de veículos, aviões e navios sendo utilizados, resultando em menos emissões de gases de efeito estufa.

As empresas baseadas em produtos que supervisionam sua distribuição internamente também podem reduzir as emissões ao enviar produtos para depósitos, lojas e clientes com mais eficiência. Por exemplo, a Unilever reduziu as emissões de CO2 combinando rotineiramente mais cargas de frete em um único veículo com a ajuda de um software de gerenciamento de transporte. As empresas também podem encontrar formas de encurtar as rotas de entrega, usar veículos elétricos ou combustíveis alternativos – como biocombustíveis feitos de óleos vegetais, gorduras animais ou óleo de cozinha reutilizado – para abastecer caminhões de entrega, navios de carga ou aviões.

As empresas que terceirizam a distribuição podem optar por fazer parcerias com fornecedores que priorizam o transporte ecologicamente correto. Também podem considerar o transporte de carga fracionada (LTL) em vez de carga completa (FTL). Ao contrário do FTL – no qual as empresas reservam um caminhão inteiro, independentemente de completar ou não a capacidade de carga – o LTL combina remessas de vários clientes para maximizar o espaço do caminhão e otimizar as rotas de entrega, reduzindo as emissões, atribuindo-as a apenas um cliente.

2. Aumente o uso de materiais reciclados e renováveis

A reciclagem é fundamental para a economia circular, que envolve o compartilhamento, o reparo, a reutilização e a reciclagem eficientes de materiais e produtos. A economia circular não apenas preserva os recursos naturais finitos, como também reduz os resíduos em aterros sanitários, que emitem gases de efeito estufa durante o processo de decomposição. No entanto, apenas cerca de 7% da economia global é circular, de acordo com um relatório de 2023 da Circle Economy, uma organização que promove a circularidade.

As empresas que buscam criar cadeias de suprimentos mais sustentáveis podem contribuir para a economia circular projetando ou adquirindo produtos feitos de tecidos, plásticos e outros materiais reaproveitados. Um fabricante pode derreter sucatas de metal para fabricar peças novas em vez de descartá-las. Um varejista pode comprar roupas feitas de tecido reciclado. As empresas que desenvolvem os próprios produtos também podem usar recursos renováveis, como bambu e cortiça, em vez de recursos não renováveis, como metais de ocorrência natural e combustíveis fósseis, em seus projetos.

3. Aprimore o gerenciamento do relacionamento com fornecedores (SRM)

As empresas que desejam investir mais na sustentabilidade devem melhorar as relações com os fornecedores e considerar cuidadosamente a conformidade, que pode acarretar responsabilidades não óbvias em termos de sustentabilidade. Por exemplo, um fabricante pode comprar tecidos de um fornecedor que usa combustíveis fósseis ou que explora seus funcionários. Dessa forma, ao se envolver com esse fornecedor, o fabricante incentiva essas práticas, mesmo que sua equipe não esteja ciente delas.

Além de fazer as perguntas certas ao auditar os fornecedores, as empresas podem aumentar a transparência da cadeia de suprimentos, realizando inspeções no local das instalações do fornecedor. Também é possível usar softwares para rastrear as origens de materiais e mercadorias e monitorar os processos usados para fabricá-los e transportá-los de forma mais consciente. Por exemplo, as equipes podem usar o software de gerenciamento da cadeia de suprimentos para facilmente rastrear as origens de um produto no nível do número de série, determinar o fornecedor de materiais desse produto e depois verificar seu papel na sustentabilidade. Por fim, as empresas também podem contratar uma consultoria para procurar oportunidades de melhorar a transparência em toda a cadeia de suprimentos.

4. Aumente a transparência

A visibilidade da cadeia de suprimentos de ponta a ponta, ou seja, o insight de cada movimentação dos materiais e das mercadorias, desde o fornecedor até o consumidor, é uma das maiores prioridades dos executivos da cadeia de suprimentos. No entanto, mais de 60% desses executivos não observaram melhorias na visibilidade ano após ano, de acordo com uma pesquisa da EY de 2022.

Além de fazer as perguntas certas ao auditar os fornecedores, as empresas podem aumentar a transparência da cadeia de suprimentos, realizando inspeções no local das instalações do fornecedor. Também é possível usar softwares para rastrear as origens de materiais e mercadorias e monitorar os processos usados para fabricá-los e transportá-los de forma mais consciente. Por exemplo, as equipes podem usar o software de gerenciamento da cadeia de suprimentos para facilmente rastrear as origens de um produto no nível do número de série, determinar o fornecedor de materiais desse produto e depois verificar seu papel na sustentabilidade. Por fim, as empresas também podem contratar uma consultoria para procurar oportunidades de melhorar a transparência em toda a cadeia de suprimentos.

5. Implemente políticas de compras sustentáveis

Uma política de compras que visa a sustentabilidade ajuda as empresas a fazer escolhas sustentáveis no momento de aquisição de materiais e mercadorias. As iniciativas que podem se tornar parte de uma política de compras incluem evitar o uso de plástico, usar materiais reciclados, optar por recursos fabricados localmente e garantir os direitos trabalhistas dos funcionários envolvidos na fabricação. As empresas podem escolher fazer negócio somente com fornecedores que não façam uso de práticas exploratórias, como trabalho infantil ou análogo à escravidão, por exemplo.

Para aderir a esses tipos de políticas de compras, muitas empresas incluem tópicos de sustentabilidade na lista padrão de perguntas usada para avaliar os fornecedores. Por exemplo, elas podem perguntar se os agricultores usaram pesticidas nas plantações usadas na fabricação de tecidos, ou sobre a pegada de carbono de um produto, isto é, a quantidade total de gases de efeito estufa emitidos direta ou indiretamente durante a produção. As respostas podem ser monitoradas usando um software, como um sistema de gerenciamento de fornecedores, que atribui a cada fornecedor uma pontuação relacionada à sustentabilidade e cria um modelo dos efeitos da aquisição de produtos desse fornecedor sobre o meio-ambiente e a sociedade. Embora essa seja uma prática recomendada, apenas 20% dos diretores de compras de grandes empresas europeias afirmam que suas organizações usam métricas de sustentabilidade como critério principal nas decisões de compras, segundo uma pesquisa da McKinsey realizada em 2021.

6. Invista em fontes de energia renováveis

O uso de energia é a causa mais expressiva das emissões de gases de efeito estufa no mundo todo. De acordo com as Nações Unidas, cerca de 80% da energia é proveniente de combustíveis fósseis, que emitem gases nocivos e não são renováveis. Por outro lado, o uso de energia eólica e solar não produz gases de efeito estufa e pode evitar alguns tipos de poluição que afetem a qualidade do ar. As empresas podem tornar suas cadeias de suprimentos mais sustentáveis priorizando relacionamentos com fornecedores que usem energia renovável, alimentando suas próprias instalações com energia de painéis solares ou turbinas eólicas e transportando produtos acabados usando veículos elétricos ou caminhões, navios e aviões que utilizem combustíveis alternativos.

As fontes de energia renováveis, como a luz solar, geralmente custam menos do que o gás e outras fontes de energia não renováveis, mas o uso dessas fontes geralmente acarreta custos iniciais. Por exemplo, pode levar até 10 anos para recuperar os custos da instalação de painéis solares em um edifício comercial, de acordo com o fornecedor de painéis solares Solar.com.

7. Aumente a colaboração

As empresas podem colaborar para aumentar a sustentabilidade das cadeias de suprimentos. Por exemplo, um grupo de fabricantes poderia adotar padrões na implementação de direitos humanos, que devem ser cumpridos pelos distribuidores. Além de evitar danos humanos, o pacto poderia reduzir o risco regulatório dos fabricantes e aumentar a confiança dos consumidores que querem comprar de empresas que demonstram seu compromisso com a sustentabilidade. Além disso, o acordo poderia incentivar mais distribuidores a operar de forma sustentável.

A colaboração com uma empresa no mesmo estágio da cadeia de suprimentos é chamada de colaboração horizontal. Por exemplo, dois fabricantes de móveis cujas fábricas são próximas uma da outra podem fazer um pedido conjunto a um fornecedor de madeira, reduzindo as emissões de CO2 dos caminhões de entrega. Quando empresas em diferentes estágios da cadeia de suprimentos trabalham juntas, isso é chamado de colaboração vertical. Um fabricante, por exemplo, pode fazer um acordo com um fornecedor para desenvolver embalagens mais sustentáveis em troca de um volume maior de pedidos.

8. Promova a educação sobre sustentabilidade

Como vimos, os profissionais da cadeia de suprimentos afetam diretamente os esforços de sustentabilidade de uma organização. A educação em sustentabilidade prepara a equipe para escolher fornecedores que apoiem as metas de ESG da empresa e, em seguida, avaliar o progresso em direção a elas.

Se os profissionais da cadeia de suprimentos de uma empresa não tiverem recebido orientações sobre as questões de sustentabilidade de seu setor, a empresa poderá providenciá-las ou oferecer apoio para a equipe da cadeia de suprimentos na busca de certificações ou diplomas externos. O Certified Sustainable Supply Chain Professional (CSSCP), emitido pela International Supply Chain Education Alliance, é uma certificação popular que exige a conclusão de uma série de cursos online e a aprovação em uma avaliação final. As melhores universidades também oferecem cursos e certificações de sustentabilidade da cadeia de suprimentos destinados a profissionais. A liderança da empresa pode oferecer apoio financeiro para que os funcionários concluam esses programas ou façam parceria com um provedor de treinamento e desenvolvimento para oferecer cursos semelhantes internamente.

9. Avalie e relate o desempenho ambiental

As organizações que desejam aprimorar as métricas de desempenho ambiental de sua cadeia de suprimentos têm muito mais chances de alcançar esse objetivo se avaliarem o desempenho atual para estabelecer uma referência, criarem um plano de como e em quais áreas desejam melhorar e relatarem essas métricas regularmente.

Embora as empresas já possam gerar relatórios anualmente para cumprir as regulamentações governamentais, elas podem adicionar relatórios quinzenais ou mensais para acompanhar mais de perto o progresso da cadeia de suprimentos em relação às metas de sustentabilidade ambiental e fazer alterações conforme necessário. Relatórios ambientais regulares também podem ajudar a reter e atrair funcionários. 83% dos respondentes afirmam que estão mais dispostos a trabalhar para organizações que claramente apresentam progresso em relação a questões ambientais e sociais, e 69% dos funcionários dizem que deixariam seu empregador atual por um que se dedicasse mais a essas questões, de acordo com um estudo ESG de 2022 da Oracle e da consultoria de pesquisa Savanta. Os relatórios regulares também podem conquistar clientes – 91% dos respondentes esperam que as empresas tenham mais responsabilidade quanto à sustentabilidade, segundo o estudo.

10. Invista em tecnologia verde

A tecnologia verde é um termo amplo que se refere à tecnologia usada para reduzir o impacto negativo de uma empresa no planeta e na sociedade. Por exemplo, uma empresa pode optar por usar painéis solares para gerar energia alternativa. As empresas podem usar outros tipos de tecnologia verde – como turbinas eólicas, iluminação LED e embalagens à base de plantas – em toda a cadeia de suprimentos, e podem se comprometer a trabalhar somente com fornecedores que atuem da mesma forma. Elas também podem investir em tecnologias verdes, como caminhões, vans e ônibus elétricos, que não emitem poluentes durante o transporte de produtos, ou abastecer seus veículos com biocombustíveis.

Além dos painéis solares, conforme discutido anteriormente, outros tipos de tecnologia verde geralmente representam um investimento inicial significativo. Trabalhe com as equipes financeiras para criar um modelo do retorno potencial do investimento e do cronograma. Por exemplo, quanto tempo levará para a empresa recuperar o custo de investimento de uma frota de caminhões elétricos ao reduzir os custos operacionais e ganhar mais tempo de atividade em comparação com os caminhões movidos a gás? Consegue prever um aumento nas vendas devido a uma imagem mais positiva da marca em termos de sustentabilidade?

11. Apoie as comunidades locais

As empresas também podem melhorar a sustentabilidade da cadeia de suprimentos operando localmente. Um fabricante pode adquirir materiais de fornecedores locais, reduzindo a pegada de carbono e consolidando o emprego dos colaboradores locais que, caso contrário, poderiam optar por trabalhar para fornecedores nacionais maiores.

As empresas também podem motivar as equipes da cadeia de suprimentos, bem como outros funcionários, a participar de atividades locais ecológicas ou sociais, como mutirões de limpeza. Além de melhorar a sustentabilidade, essas atividades podem impulsionar os esforços de recrutamento e retenção de talentos – 65% das pessoas do mundo todo querem trabalhar em uma empresa com uma forte consciência social, de acordo com um relatório da PwC de 2022. Essas atividades também podem aumentar o reconhecimento da marca e melhorar a reputação de uma organização para clientes atuais e potenciais.

12. Estabeleça metas de sustentabilidade

Ter objetivos claros e mensuráveis de sustentabilidade para a cadeia de suprimentos aumenta a probabilidade de êxito dos esforços da organização. Geralmente, eles são resultados de metas organizacionais mais amplas. Por exemplo, uma empresa pode estabelecer uma meta para reduzir a pegada de carbono, que (como mencionado) é a soma de todas as emissões de CO2 criadas direta ou indiretamente no processo de compra, na fabricação de produtos, no fornecimento de serviços ou na execução de operações. Com essa meta organizacional em mente, os profissionais da cadeia de suprimentos podem desenvolver políticas de compras verdes que incluam a compra de produtos de fornecedores que usam embalagens biodegradáveis. A equipe da cadeia de suprimentos pode definir uma meta para obter 75% das embalagens desses tipos de fornecedores no próximo ano.

13. Adote práticas trabalhistas éticas

Tratar bem as pessoas é um dos princípios fundamentais da sustentabilidade da cadeia de suprimentos. Conforme discutido anteriormente, os profissionais da cadeia de suprimentos devem verificar se fornecedores, fabricantes e outros parceiros não são coniventes com trabalho infantil, análogo à escravidão ou condições trabalhistas precárias ao coletar ou produzir bens e materiais. Também devem verificar se os fornecedores pagam um salário justo aos seus funcionários e se oferecem ou garantem condições de trabalho seguras e humanas. As empresas devem atender a esses mesmos padrões em todos os pontos da cadeia de suprimentos que supervisionam internamente.

14. Reduza o desperdício

Globalmente, estima-se uma perda anual de US$ 163 bilhões em estoque devido a danos ou superprodução, de acordo com um relatório de 2022 do fornecedor de materiais Avery Dennison.

Os fabricantes podem reduzir o desperdício nas cadeias de suprimentos usando tecnologias interconectadas de fabricação inteligente, como robôs, sensores e sistemas de software, para criar uma fábrica inteligente. Por exemplo, eles podem equipar uma linha de montagem com robôs de soldagem que cometem menos erros do que os soldadores humanos e evitam o aumento de sucatas ao receberem instruções do software sobre ajustes nos parâmetros de soldagem. Além disso, o fabricante pode eliminar a superprodução usando esses sistemas de software, máquinas e outros dispositivos interconectados – também conhecidos como Internet das Coisas Industrial (IIoT) – para criar linhas de produção que ajustem automaticamente a saída com base nas flutuações de demanda.

Outro exemplo seria um varejista pode reduzir o desperdício na cadeia de suprimentos ao dar suporte à reutilização de produtos acabados para fabricar novos produtos. Por exemplo, ele pode iniciar um programa de recompra no qual os consumidores trocam roupas usadas por descontos em novos produtos. Em seguida, o varejista enviaria esses produtos ao fabricante para fazer roupas novas.

15. Desenvolva embalagens sustentáveis

As empresas têm muitas opções quando se trata de embalagens sustentáveis, também chamadas de embalagens verdes ou ecologicamente corretas. Por exemplo, elas podem desenvolver ou comprar embalagens que incorporem materiais como papel reciclado, plástico reciclado ou plástico biodegradável, feito de amido de milho, algas marinhas ou outras plantas.

As embalagens sustentáveis nem sempre têm impacto ambiental zero, o que nos mostra que a sustentabilidade da cadeia de suprimentos se trata de tomar decisões melhores, e não necessariamente de eliminar o impacto ambiental por completo. As embalagens plásticas recicladas são mais sustentáveis do que as embalagens feitas de plástico descartável, e os produtos feitos com papel reciclado são mais sustentáveis do que aqueles feitos de materiais virgens. Porém, as empresas só podem usar produtos de papel e determinados plásticos algumas vezes antes que eles sejam descartados em aterros sanitários, pois se degradam com o tempo.

As empresas podem estar preocupadas com o fato de as embalagens sustentáveis serem mais caras, o que é verdade em alguns casos. No entanto, 74% dos consumidores estão dispostos a pagar mais por isso, de acordo com um relatório de 2020 do Boston Consulting Group e da Trivium Packaging.

16. Use dados e análises

As empresas podem realizar análises complexas dos dados da cadeia de suprimentos para aprimorar as táticas usadas para atingir as metas de sustentabilidade. Por exemplo, o monitoramento e a análise das emissões de CO2 de transportes ou de uma fábrica podem mostrar aumentos nas emissões e previsões de níveis futuros com base em tendências, além de ajudar o fabricante a decidir a melhor forma de reduzir as emissões. Ou, se um fabricante administrar uma fábrica inteligente na qual as máquinas se conectam umas às outras e à internet, ele poderá usar a análise de dados para determinar quando desacelerar automaticamente a produção com base nas reduções previstas na demanda, diminuindo o desperdício da superprodução.

Melhore a sustentabilidade da cadeia de suprimentos com a Oracle

Empresas do mundo todo estão investindo na sustentabilidade da cadeia de suprimentos com o Oracle Fusion Cloud Supply Chain Management (SCM). Com suporte para o gerenciamento da cadeia de suprimentos de ponta a ponta, o pacote de aplicações ajuda as organizações a encontrar maneiras de reutilizar materiais no design, na embalagem e na fabricação de produtos; rastrear a origem de materiais e mercadorias em conformidade com políticas de compras sustentáveis; otimizar remessas para minimizar as emissões de carbono; e melhorar a previsão de demanda para reduzir o desperdício.

As empresas também usam o Oracle Cloud SCM para se adaptar rapidamente às flutuações do mercado e da demanda, evitando interrupções e mantendo os clientes satisfeitos ao garantir que os produtos necessários estejam sempre disponíveis, sem gerar excedentes ou desperdícios.

Perguntas frequentes sobre sustentabilidade da cadeia de suprimentos

Como a cadeia de suprimentos pode melhorar a sustentabilidade?
De modo geral, a cadeia de suprimentos de uma empresa afeta diretamente o meio ambiente, a economia e a sociedade. As organizações podem melhorar a sustentabilidade da cadeia de suprimentos considerando seu impacto sobre as pessoas e o planeta ao avaliar fornecedores, projetar produtos, planejar rotas de transporte e tomar outras decisões em toda a cadeia.

Qual é um exemplo de melhoria da sustentabilidade da cadeia de suprimentos?
Reutilizar materiais de produtos antigos em vez de usar materiais novos na produção é uma maneira pela qual um fabricante pode tornar sua cadeia de suprimentos mais sustentável. Por exemplo, um fabricante de roupas poderia usar o tecido de camisetas usadas para fazer camisetas novas.

O que significa tornar uma cadeia de suprimentos sustentável?
As empresas podem criar cadeias de suprimentos mais sustentáveis alinhando as operações de cadeia de suprimentos de forma a não prejudicar a sociedade, o meio ambiente ou a economia.

Captura de tela Solicite uma demonstração do SCM

Saiba como a Oracle ajuda os fabricantes a criar cadeias de suprimentos resilientes.