Nenhum resultado encontrado

Sua pesquisa não corresponde a nenhum resultado.

Sugerimos que você tente o seguinte para ajudar a encontrar o que procura:

  • Verifique a ortografia da sua pesquisa por palavra-chave.
  • Use sinônimos para a palavra-chave digitada; por exemplo, tente “aplicativo” em vez de “software.”
  • Tente uma das pesquisas populares mostradas abaixo.
  • Inicie uma nova pesquisa.
Perguntas Frequentes

Criando Tabelas Particionadas no Oracle Database 12c

Por Alex Zaballa Revisado por Marcelo Pivovar - Solution Architect,
Postado em Junho 2016

Revisado por Marcelo Pivovar - Solution Architect

Este é mais um artigo da série que irei escrever enquanto me preparo para o exame de atualização do OCM para a versão 12c. Estes artigos serão criados antes da prova e serão baseados apenas nos tópicos do exame.

Indice de artigos do tema Data and Performance Management:

Neste artigo iremos verificar como funciona o Interval Reference Partitioning, que surgiu no Oracle Database 12c.

No Oracle Database 11g Release 1 surgiram os conceitos de Interval Partitioning e Reference Partitioning.

Interval Partitioning é uma extensão do Range Partitioning. Este tipo de particionamento automatiza a criação de novas partições por uma determinada faixa ou intervalo e com isso o DBA não precisa mais se preocupar em criar novas partições.

Reference Partitioning permite que tabelas relacionadas através de Foreign Keys sejam particionadas da mesma forma. A tabela filha é particionada usando a mesma chave de particionamento da tabela pai, sem a necessidade de duplicar as colunas da chave.

No Oracle Database 11g, não era possível utilizar em conjunto esses 2 conceitos, mas agora no Oracle Database 12c , é possível.

Interval Reference Partitioning

Criando a tabela pai - ORDENS:

Criando a tabela filha - ORDENS_ITENS:

Verificando as partições criadas até o momento para a tabela pai:

Verificando as partições criadas até o momento para a tabela filha:

Verificando o relacionamento entre as partições da tabela pai e da tabela filha:

Inserindo valores na tabela pai:

Verificando a nova partição, que foi criada automaticamente:

Inserindo valores na tabela filha:

Verificando a nova partição (que foi criada automaticamente):

 

Alex Zaballa, formado em Análise de Sistemas, é especialista em Banco de Dados Oracle com sólidos conhecimentos em Servidores de Aplicação e Sistemas Operacionais; trabalha com Oracle há 16 anos, é Oracle ACE Director, certificado OCM Database 11G/Cloud e conta com mais de 200 outras certificações em produtos da Oracle.

Este artigo foi revisto pela equipe de produtos Oracle e está em conformidade com as normas e práticas para o uso de produtos Oracle.