O que é gerenciamento de estoque do varejo? 8 dicas para melhorar o estoque

Michael Hickins | Estrategista de Conteúdo | 25 de abril de 2023

O gerenciamento de estoque está no cerne do varejo, uma empresa que depende de disponibilizar as mercadorias certas aos clientes no momento e pelo preço certos. Os varejistas utilizam uma combinação de análise de dados, automação e equipe experiente para garantir que estão oferecendo a combinação certa de mercadorias para atender à demanda por um preço atrativo, minimizando a despesa de transportar muito estoque. O gerenciamento eficiente de estoque também ajuda os varejistas a reduzir custos excessivos de transporte e armazenagem.

O que é Gerenciamento de Estoque?

O gerenciamento de estoque é o processo de acompanhar e controlar a quantidade, o custo e a localização do estoque, ajudando as empresas a identificar quanto estoque deve ser pedido em que momento. É uma parte crucial do processo da cadeia de suprimentos, garantindo que a quantidade certa de produto esteja disponível no lugar e no tempo certos.

O gerenciamento de estoque se concentra no fluxo de mercadorias desde o pedido até o armazenamento, a distribuição, a venda e o estoque. Para grandes varejistas, o gerenciamento de estoque envolve o gerenciamento e a contabilidade do total de estoques de mercadorias em toda a empresa, bem como dos níveis de itens de cada um de seus depósitos, centros de distribuição e lojas. Os varejistas devem encontrar um equilíbrio entre manter estoque suficiente para atender à demanda dos clientes e minimizar a quantidade de estoque que mantêm no estoque, já que itens não vendidos representam custos de transporte, como aluguel e transporte, além do custo de aquisição desses estoques.

Principais conclusões

  • O gerenciamento de estoque ajuda os varejistas a garantir que eles tenham estoque suficiente para atender à demanda, reduzindo os custos financeiros e ambientais de armazenamento e transporte do estoque excedente.
  • O software de gerenciamento de estoque não apenas ajuda os varejistas a garantir que eles tenham as mercadorias certas em estoque, como também que possam aproveitar seus estoques em todos os canais de vendas.
  • Os varejistas utilizam verificações manuais de estoque e outros métodos de auditoria para garantir que os registros de estoque sejam precisos.
  • Os varejistas podem escolher seu próprio método de contabilidade de estoque, mas os reguladores esperam que eles sigam esse método para garantir relatórios anuais consistentes.

Explicação de gerenciamento de estoque de varejo

O gerenciamento de estoque de varejo é o processo de prever os níveis necessários de estoque a serem mantidos para venda ou em armazenamento para cada tipo de mercadoria nos canais de vendas. Inclui o uso de software para ajudar a determinar a demanda e o valor de mercadorias mantidas no estoque para fins de contabilidade e auditoria. Também implica uma variedade de melhores práticas usadas para garantir que as mercadorias estejam sendo armazenadas e enviadas de forma eficaz para lojas de varejo. O objetivo geral do gerenciamento de estoque é garantir que os varejistas tenham mercadorias em estoque suficientes para atender à demanda e minimizar a despesa de manter mercadorias não vendidas.

Por que o Gerenciamento de Estoque de Varejo é Importante?

O gerenciamento eficaz de estoque é crucial para os varejistas porque garante que eles tenham produtos suficientes disponíveis para capturar todas as vendas possíveis, manter os custos baixos e ajudar os varejistas a melhorar a compreensão dos clientes e dos padrões de compra. O gerenciamento de estoque sólido também ajuda a impedir que os varejistas sobreponham produtos que expiram ou se tornam obsoletos, como alimentos ou medicamentos perecíveis, e produtos propensos a obsolescência, como itens de moda e de férias.

Além disso, ter dados de estoque precisos nos canais de vendas ajuda os varejistas a disponibilizar os produtos para os consumidores mais rapidamente, melhorando a satisfação do cliente e reduzindo o estresse sobre os funcionários. Isso também ajuda a reduzir a perda de estoque, estoque que um varejista deve ter, mas não por causa de roubo interno, registro incorreto de estoque de entrada, estoque contado erroneamente, mercadorias danificadas ou estragadas na chegada, estoque extraviado ou outros motivos. Além disso, sem um gerenciamento de estoque adequado, os varejistas não podem devolver mercadorias danificadas aos fornecedores porque eles não sabem como ou em que condição esses produtos foram entregues.

Ter um controle firme das tendências de estoque e vendas ajuda os varejistas a gerenciar melhor suas cadeias de suprimentos. Seja usando pedidos just-in-time para minimizar custos de transporte ou fazendo menos pedidos maiores, os varejistas podem determinar melhor a quantidade de pedidos econômicos, o tamanho ideal do pedido que minimiza os custos de retenção de estoque.

5 Tipos de Estoque de Varejo

O gerenciamento de estoque envolve o rastreamento de mercadorias no processo de ir do fabricante ao distribuidor, do depósito ao ponto de venda. Em alguns casos, envolve também o gerenciamento de produtos parcialmente construídos, bem como um estoque de manutenção e outros bens. Esta é uma lista de algumas mercadorias que podem precisar ser estocadas.

  1. Matéria-prima: Matéria-prima inclui qualquer componente, ingrediente ou outros materiais usados na construção ou montagem do produto final. Exemplos são aço, madeira, algodão e plástico. Eles são os blocos básicos de construção de produtos acabados e devem ser cuidadosamente gerenciados para garantir um processo de manufatura sem problemas.
  2. Itens de trabalho em andamento (WIP): O estoque de WIP consiste em materiais processados durante a manufatura, mas ainda não concluídos. Podem incluir produtos ou componentes parcialmente montados ainda em produção. O valor do estoque do WIP inclui materiais, mão de obra e custos indiretos diretos de produção.
  3. Produtos acabados: Os produtos acabados foram totalmente fabricados e embalados e estão prontos para venda.
  4. Mercadorias de manutenção, reparo e operações (MRO): As mercadorias de MRO são itens usados para reparar e manter equipamentos e instalações, como ferramentas, peças de reposição e suprimentos de limpeza.
  5. Materiais de embalagem: São materiais usados para embalar e proteger os produtos durante o transporte. Eles incluem caixas, pacotes, etiquetas e embalagens de amendoim.

6 Técnicas de Gerenciamento de Estoque de Varejo

O gerenciamento de estoque envolve rastrear, armazenar e reabastecer mercadorias para garantir que os clientes possam comprar o que estão procurando. Abaixo citamos seis técnicas que os varejistas utilizam para gerenciar seus estoques com eficiência.

  1. A avaliação de estoque, como o nome sugere, é o processo pelo qual os varejistas atribuem um valor monetário ao estoque. Esse valor se baseia no custo de fabricação e obtenção dos itens em estoque, incluindo descontos antecipados, impostos e taxas de armazenamento. Esta avaliação é usada para fins de contabilidade de imposto e geração de relatórios.
  2. Conciliação regular é um processo que os varejistas usam para comparar as contagens de estoque mantidas em diferentes sistemas com as contagens físicas reais. Esse processo ajuda a garantir que os registros de estoque estejam precisos e atualizados.
  3. As contagens físicas de estoque envolvem contar todos os itens de estoque em todos os depósitos, lojas e locais e comparar as contagens com os registros de estoque e contabilidade. Essas contagens consomem muito tempo e demandam muita mão de obra, normalmente interrompendo as operações durante a contagem. Por esse motivo, elas são frequentemente executadas anualmente antes do próximo ano financeiro começar para reconciliar discrepâncias entre os registros.
  4. As contagens cíclicas são contagens de amostras ou seções de estoque retiradas ao longo do ano para garantir que tudo seja contado no decorrer do tempo. Como as contagens cíclicas envolvem a contagem diária regular de uma pequena porcentagem de estoque a qualquer momento, elas são menos disruptivas do que as contagens físicas e podem descobrir problemas ao longo do ano, e não de uma vez só.
  5. A análise ABC é um método de classificar produtos no estoque de A a C, com base em sua importância financeira para os negócios, com os itens de “classe A” sendo os mais valiosos em termos de vendas, risco, demanda e custo. Esse método ajuda os varejistas a decidir quais itens priorizar para a frequência de contagem cíclica.
  6. As verificações pontuais são como uma contagem cíclica reduzida, em que os varejistas selecionam aleatoriamente os itens do estoque e os comparam com os registros no sistema contábil. Esse processo ajuda a identificar quaisquer discrepâncias nos registros de estoque.

10 Etapas do Gerenciamento de Estoque de Varejo

O gerenciamento de estoque é um aspecto crucial, se subvalorizado, da administração de um negócio de varejo. Ele envolve manter itens suficientes sob demanda para manter os clientes satisfeitos, mas não a ponto de a empresa perder dinheiro por ter que suportar os custos de transporte de mercadorias não vendidas (como custos com aluguel e transporte). O gerenciamento adequado do estoque envolve o monitoramento ativo de estoques, o uso de tecnologia para prever a demanda e uma estratégia inteligente para reabastecer estoques à medida que a demanda começa a diminuir o estoque de determinados itens.

Abaixo estão as etapas pelas quais os varejistas passam para gerenciar seus estoques:

  1. Monitore, faça a auditoria e gerencie o estoque de forma proativa: talvez seja algo óbvio, mas todo varejista precisa contar seu estoque periodicamente para garantir que seus registros estejam precisos. Esses exercícios, na maioria das vezes feitos por um sistema de gerenciamento de estoque de varejo, devem considerar perdas por roubo, bem como danos, defeitos e retornos. A frequência de contagem depende da complexidade, da escala e do tipo do sistema de gerenciamento de estoque do varejista, mas a recomendação é uma vez por trimestre, no mínimo, uma vez por ano. Alguns varejistas contam o estoque de alta prioridade diariamente.
  2. Crie uma hierarquia de categorias principal: Essa hierarquia garante que as categorias de mercadorias mais valiosas ou lucrativas sejam acompanhadas com mais atenção, minimizando o risco de perda de negócios em estoques. Isso é conhecido como análise ABC.
  3. Identifique e mova estoque morto: O estoque morto, também conhecido como estoque obsoleto, inclui itens danificados, entregas incorretas e produtos sazonais que não esperam ser vendidos. Registre os itens que se enquadram nessa categoria e remova-os do estoque para minimizar os custos de armazenagem. Designe um local para armazenar estoque morto e gerencie-o regularmente, em uma cadência que faça sentido para o negócio. Envie imediatamente mercadorias que podem ser devolvidas aos fornecedores para crédito (denominado pullback). O restante pode ser vendido para saídas de desconto, empacotado ou fornecido como presentes gratuitos com uma compra, doado ou reciclado.
  4. Saiba onde seu estoque está: Para varejistas com apenas um local, saber onde o estoque está localizado é simples: os produtos provavelmente estão em exibição ou na sala de estoque. Porém, as empresas de varejo com vários sites, bem como as que vendem por meio de uma mistura de canais físicos, digitais e de catálogo, podem ter estoque em trânsito ou espalhado por armazéns, centros de distribuição, salas de estoque e prateleiras das lojas. Produtos mal colocados ou negligenciados podem representar vendas perdidas e receita perdida. Use etiquetas de identificação de frequência de rádio (RFID), códigos de barra e rótulos que incluem códigos de categoria e departamento para automatizar total ou parcialmente o mapeamento de estoque.
  5. Invista no ecommerce: o ecommerce oferece aos varejistas lojas adicionais para excesso de estoque, incluindo a capacidade de vender mercadorias com desconto em um site de marca diferente.
  6. Não se esqueça dos dados de vendas: Um sistema eficaz de gerenciamento de estoque de varejo integra dados de vendas e estoque de todos os sistemas disponíveis, incluindo sistemas de ponto de venda (PDV), sistemas de comércio eletrônico e sistemas que registram as interações do cliente com agentes de vendas e serviços. Esta imagem mostra quais mercadorias estão vendendo mais rápido (uma métrica chamada velocidade de vendas) e quais estão atrasadas. Use esses dados para decidir quando e quanto reordenar e quando oferecer promoções ou descontos.
  7. Invista na construção da marca: construir uma variedade de marcas fortes permite que os varejistas alinhem as expectativas, mercadorias e preços dos clientes de forma mais eficaz. Dessa forma, um varejista pode vender produtos de pouca movimentação a um preço mais baixo em um site secundário ou em um local físico sem manchar a imagem das lojas com foco em consumidores mais sofisticados a preços mais altos.
  8. Foco na segurança do trabalhador e do cliente: O estoque deve ser exibido ou armazenado com segurança para que os clientes, funcionários de outros fornecedores e os próprios funcionários do varejista não corram o risco de queda de mercadorias ou de mercadorias armazenadas de maneira perigosa.
  9. Gerencie o estoque em um sistema de PDV: Os sistemas de ponto de venda combinam a capacidade de aceitar o pagamento com a capacidade de verificar mercadorias fora do estoque. Quando uma transação é processada por meio de um sistema de PDV, ela atualiza automaticamente os dados de estoque nos locais em tempo real. Alguns sistemas de PDV também fazem interface diretamente com outros sistemas financeiros, incluindo contas a receber, vendas e devoluções/trocas.
  10. Defina pontos de reposição inteligentes: os varejistas podem usar dados de vendas para calcular o ponto de reposição automatizado, o limite de estoque para acionar pedidos novamente. Uma abordagem simples e baseada em regras economiza tempo e reduz a possibilidade de erros dispendiosos no gerenciamento de estoques.

Métodos Contábeis de Estoque para Varejo

Os métodos contábeis de estoque variam, mas todos atribuem um valor ao estoque de um varejista. O método contábil escolhido afeta diretamente o montante das receitas que o varejista reporta nas suas demonstrações financeiras, o que, por sua vez, também afeta os seus impostos a recolher. Embora as empresas sejam livres para escolher sua abordagem, os reguladores esperam que elas sigam o método escolhido todos os anos sem preencher um formulário IRS ou obter permissão IRS.

  • Estoque de varejo: Este método é usado para estimar o valor da mercadoria de uma loja. Como é apenas uma estimativa, não deve ser baseada em demonstrações financeiras. O método informa o saldo final do estoque comparando o custo total do estoque com o preço de todas as mercadorias mantidas nele. Ele pode ser calculado usando a seguinte fórmula: (início do estoque + novas compras de estoque) - (vendas x porcentagem de acréscimo) = estoque final de varejo.
  • FIFO: O método contábil por ordem de chegada (FIFO) de estoque é o mais usado pelos varejistas. Ele assume que os primeiros itens que os varejistas compram também são os primeiros que eles vendem, atribuindo a “camada” de custo mais antiga ao estoque para o custo de mercadorias vendidas (COGS). Em geral, os produtos iniciais custam menos do que os adquiridos posteriormente porque os preços dos materiais e outros custos de estoque tendem a aumentar ao longo do tempo devido à inflação. O uso desse método resulta em menor COGS e maior renda bruta em relação a outros métodos de avaliação, o que consequentemente leva a uma fatura de imposto mais alta. A rotação de estoque FIFO é recomendada para varejistas que lidam com produtos perecíveis, produtos propensos a sair de moda e aqueles com apelo sazonal. FIFO é o único método de cálculo de custo de estoque permitido pelo IFRS (International Financial Reporting Standards), que se aplica ao fazer negócios na maioria dos países fora dos EUA. Nos EUA, onde as empresas seguem princípios contábeis geralmente aceitos (GAAP), as empresas podem usar FIFO ou LIFO (último a entrar, primeiro a sair).
  • LIFO: O método contábil de estoque último a entrar, primeiro a sair assume que os itens mais recentes são os primeiros itens a serem vendidos, atribuindo a camada de custo do estoque mais recente à receita e a COGS. O LIFO faz com que as receitas atuais se aproximem mais das despesas atuais. Isso pode ser um benefício durante os períodos inflacionários quando o COGS é mais alto porque reduz o lucro bruto de uma empresa e, consequentemente, o imposto a recolher. LIFO é o método recomendado de rotação de estoque para empresas que vendem produtos que não são perecíveis ou que não correm o risco de obsolescência, mas é aceito apenas nos EUA de acordo com GAAP.
  • Identificação específica: Este método de avaliação de estoque acompanha itens individuais específicos da compra à venda durante a vida útil do item. O método de identificação específica geralmente é usado para itens de alto valor, como móveis ou veículos, porque seu valor muda com o tempo, dependendo da data de fabricação, do modelo e de outras especificações. Este método, que dá a avaliação mais precisa do custo do estoque, é prático apenas para estoques menores, onde rastrear cada item por número de série ou RFID é viável.
  • Custo médio ponderado: O método de estoque de custo médio ponderado (WAC) atribui um valor igual a todas as unidades de um determinado item retido no estoque aplicando um custo médio para o item em questão. Esse método permite que os varejistas atribuam o mesmo custo a todas as mercadorias vendidas, independentemente de quando compraram as mercadorias ou quanto pagaram por cada item. O método de WAC é ideal para marcas diretas ao consumidor que têm um alto volume de estoque com itens de custo semelhante, como eletrônicos.

KPIS de gerenciamento de estoque de varejo

Um dos aspectos mais importantes de administrar um negócio de varejo é gerenciar o estoque. Isso inclui garantir que a empresa tenha quantidades suficientes para atender à demanda e, ao mesmo tempo, minimizar a quantidade de estoque não vendido. O primeiro objetivo é fundamental para maximizar as receitas, enquanto o segundo garante que a empresa não gaste mais do que o necessário em mercadorias que não vendem.

Veja abaixo 17 indicadores-chave de desempenho (KPIs) que os varejistas utilizam para medir a capacidade de gerenciar adequadamente o estoque.

  • A porcentagem de margem bruta é uma medida do lucro obtido por dólar de vendas. Ela deduz o custo de mercadorias vendidas (CMV) do total de vendas. O número resultante dividido pela receita líquida total e multiplicado por 100 resulta na porcentagem de margem bruta, calculada usando a seguinte fórmula:
    Porcentagem de margem bruta = [(vendas líquidas - custo de mercadorias vendidas) / vendas líquidas] x 100
  • Razão de estoque para venda, também conhecida como proporção estoque-vendas ou relação I/S, mede o valor do estoque em relação ao valor das vendas em um determinado período. Seu valor como KPI é que mede a capacidade de um varejista de manter a quantidade certa de mercadorias no estoque sem sofrer falta de estoque, ao mesmo tempo em que não mantém muito estoque.
    Embora geralmente seja melhor manter as razões de estoque para vendas o mais baixo possível, a meta deve ser alcançar uma proporção de estoque para vendas que seja saudável para o negócio, em vez da mais baixa possível. Uma proporção entre 0,167 e 0,25 é considerada ideal. Use a seguinte fórmula:
    Proporção estoque-vendas = valor de estoque / valor de vendas líquidas
  • A precisão da previsão de demanda mede o quanto a previsão de vendas unitárias de um varejista chegou de atrelar as quantidades reais em estoque. Ela mede o que uma empresa prevê, solicitou e vendeu em um período anterior. Use a seguinte fórmula:
    Precisão da previsão de demanda = [(vendas reais - vendas da unidade de previsão) / vendas reais] x 100
  • Tempo para receber é a taxa na qual o novo estoque é processado e preparado para venda. Este KPI mede a eficiência com que um varejista recebe estoque. Use a seguinte fórmula:
    Tempo para receber = tempo para validação de estoque + tempo para adicionar o estoque a registros + tempo para preparar o estoque para armazenamento
  • O giro de estoque, também conhecido como taxa de giro de estoque ou giros de estoque, é o número de vezes que uma empresa vende e substitui seu estoque em um determinado período, geralmente um ano. Os varejistas usam giros de estoque para determinar se estão armazenando muito estoque. Uma baixa proporção de giro de estoque pode refletir vendas fracas ou estoque em excesso, mas também pode ser uma vantagem se isso significa que a gerência teve a previsão de aumentar o estoque antes de aumentos de preço ou picos na demanda. E, embora um alto índice de giro de estoque possa sugerir vendas fortes, também pode ser o resultado de estoque insuficiente. Use esta fórmula para calcular giros de estoque:
    Giro de estoque = custo das mercadorias vendidas / valor médio do estoque
  • A taxa de venda direta (STR) mostra quanto do que um fabricante recebeu foi realmente vendido. Ela ajuda a indicar a eficiência de uma cadeia de suprimentos. Use a seguinte fórmula:
    Taxa de venda direta = (número de unidades vendidas / número de unidades recebidas) x 100
  • Dias em estoque (DOH) é a taxa de giros de estoque calculada por dia. Este KPI, também conhecido como estoque médio de dias para venda ou idade média do estoque, é calculado usando a seguinte fórmula:
    Dias em estoque = (estoque médio do período / custo de vendas do período) x 365
  • A taxa de retorno (ROR) é usada para medir os lucros ou perdas criados por um investimento em um determinado período. Também chamada de retorno sobre o investimento (ROI), a ROR pode ser usada em diversos ativos, que vão desde ativos intangíveis, como ações e títulos, até ativos tangíveis, como estoques e imóveis. Use a seguinte fórmula:
    Taxa de retorno = [(valor atual - valor inicial) / valor inicial] x 100
  • A taxa de pedidos pendentes mede o número de pedidos que um varejista não consegue atender quando um cliente faz um pedido. Este KPI não é o mesmo que um item fora de estoque (um item que sua empresa não espera receber) porque posteriormente ele pode voltar para o estoque da empresa. A taxa de pedidos pendentes mostra quão bem uma empresa estoca produtos sob demanda e geralmente deve ser o mais baixo possível. Use a seguinte fórmula:
    Taxa de pedidos pendentes = (número de pedidos atrasados devido a pendências / número total de pedidos feitos) x 100
  • Tempo de armazenamento é o tempo que um varejista leva para armazenar mercadorias.
  • A taxa de pedidos perfeitos mede quantos pedidos um varejista envia aos clientes sem nenhum problema, como danos, imprecisões, atrasos ou cobrança inadequada. Esta métrica pode ser usada como um proxy para satisfação do cliente. Use a seguinte fórmula:
    Taxa de pedido perfeito = [(número de pedidos entregues no prazo / número de pedidos) x (número de pedidos finalizados / número de pedidos) x (número de pedidos sem danos / número de pedidos ) x (número de pedidos com documentação precisa / número de pedidos)] x 100
  • GMROI, ou retorno sobre o investimento da margem bruta, mostra quanto lucro um varejista ganha com seu estoque. Os varejistas usam esse KPI para analisar a capacidade de transformar o estoque em caixa depois de contabilizar o custo desse estoque. Quanto maior o índice de GMRO, melhor, já que o número indica a lucratividade de cada unidade de estoque. Use a seguinte fórmula:
    Retorno sobre o investimento da margem bruta = margem bruta / custo médio do estoque
  • A entrega pontual mede a taxa na qual um varejista atende os pedidos dentro de um período ou prazo acordado. Um número relativamente baixo sugere gargalos no gerenciamento de atendimento, muitas vezes devido à dependência excessiva de processos manuais, como informar endereços de remessa ou programar entregas. Os profissionais de alto desempenho para essa métrica tendem a ter previsão de demanda superior, taxas mínimas de pedidos pendentes e equipamentos de distribuição e armazenamento bem mantidos. Use a seguinte fórmula:
    Entrega pontual = número de envios recebidos pelos clientes no prazo / número total de envios) x 100
  • Average inventory is an estimate of the value of the inventory a retailer has on hand during a given period. Os varejistas devem se esforçar para manter o estoque médio consistente ao longo de um ano. Calcule o estoque médio usando a seguinte fórmula:
    Estoque médio = (estoque inicial + estoque final) / 2
  • Lead time é o tempo entre o momento em que um cliente faz e recebe um pedido. Vários fatores podem afetar o lead time, incluindo o tempo necessário para que o varejista processe um pedido e envie o item, bem como o tempo necessário para que o fabricante faça o item. Assim, esse KPI mede a eficiência de toda uma cadeia de suprimentos ou empresa. As decisões de gerenciamento de estoque precisam considerar o lead time para garantir que a empresa não se veja em uma situação em que não consegue atender aos pedidos devido à falta de estoque ou de matérias-primas. Use a seguinte fórmula:
    Lead time = tempo de processamento do pedido + tempo de produção + tempo de entrega
  • A redução de estoque é a quantidade de estoque que um varejista deve ter disponível, mas não tem por vários motivos, incluindo furto, roubo interno, fraude de fornecedores e erro organizacional. É a diferença entre o estoque no registro e o estoque real, calculada usando a fórmula:
    Redução de estoque = valor do estoque final - valor do estoque contado fisicamente
  • Custos de retenção, também conhecidos como custos de manutenção de estoque ou custo de manutenção, é o custo total para um varejista manter o estoque não vendido em armazenamento como uma porcentagem do valor total do estoque. Este KPI inclui o custo de seguro, mão de obra e aluguel de espaço de armazenamento, bem como o preço de quaisquer produtos não vendáveis. Calcule os custos de manutenção de estoque usando a fórmula:
    Custos de retenção = custo de armazenamento / valor total de estoque x 100

Análise e previsão de estoque para varejistas

A análise e previsão de estoque são uma parte importante das operações de varejo. Elas ajudam os varejistas a entender seus níveis de estoque e prever a demanda de seus produtos. O objetivo dos varejistas é garantir que eles tenham estoque suficiente para atender à demanda dos clientes e evitar faltas de estoque, bem como evitar os custos desnecessários de estoques em excesso. Considere estes métodos.

  • Previsão qualitativa envolve a combinação de julgamento humano (fatores qualitativos) com dados concretos para estimar a demanda futura, geralmente para previsões de curto prazo. A previsão qualitativa é particularmente útil quando novas condições de negócios, como uma recessão ou interrupções significativas na cadeia de suprimentos, tornam menos provável que a análise de dados sozinha seja útil. Também é útil quando ocorrem eventos únicos que não podem ser incluídos em nenhum conjunto de dados, como quando uma celebridade participa de uma inauguração de loja ou um evento que ocorre regularmente é cancelado. Em vez de depender apenas dos profissionais interna, os varejistas também podem recorrer a especialistas externos, grupos de foco no cliente e outras formas de pesquisa de mercado.
  • A análise de séries temporais utiliza pontos de dados quantitativos em um determinado período para modelar tendências futuras, considerando a cadência de vendas de cada negócio de varejo e considerando como outras variáveis mudam com o tempo. Por exemplo, variações mesmo dentro de padrões sazonais bem estabelecidos podem afetar os volumes de vendas e as necessidades de estoque, como quando o número de dias entre o feriado de Ação de Graças dos EUA e o Natal é o mais baixo.
  • A previsão de causalidade usa modelos de previsão estatística para prever o impacto das mudanças em uma área dos negócios em outra. Por exemplo, um varejista pode prever o impacto de um novo concorrente conquistando participação de mercado ou oferecendo um desconto.
  • A previsão da simulação ajuda os varejistas a entender os efeitos complexos de qualquer decisão, como o impacto de uma aparição de celebridade em uma loja de departamentos nas vendas de mercadorias em áreas da loja que podem não estar diretamente relacionadas ou como fechar um local de varejo pode afetar a demanda em outros locais. A previsão combina elementos de previsão qualitativa, na medida em que utiliza dados que não podem ser obtidos a partir de dados históricos, e depende da experiência dos líderes de negócios de um varejista para criar hipóteses que são então submetidas a testes quantitativos. As simulações também permitem que os usuários vejam os resultados de diferentes cenários simulados exibidos lado a lado.

Métodos de auditoria de estoque de varejo

Os métodos de auditoria de estoque permitem que os varejistas identifiquem discrepâncias em seus registros financeiros e de estoque e garantam que seus sistemas e reconciliações sejam eficientes e precisos. Os varejistas usam os seguintes métodos de auditoria de estoque:

  • A análise ABC é um método de auditoria de estoque em que os itens são agrupados em três categorias, A, B e C, com base em seu valor para a empresa, geralmente em volume de vendas ou lucratividade. Os itens da classe A são vendidos com mais frequência e devem compor a maior parte do estoque; os itens da classe C são a menor parte e vendidos com menos frequência, os itens da classe B estão no meio.
  • A análise de corte envolve pausar brevemente o envio e o recebimento durante uma contagem para comparar documentos de envio e recebimento com as transações relatadas para verificar a precisão, geralmente como parte de uma contagem física de estoque.
  • A auditoria de contagem física de estoque envolve auditores que observam como todos os itens de uma loja são contados e comparados com os registros de estoque. Os auditores revisam seus processos e realizam contagens de testes aleatórios para verificar os números.
  • A auditoria de contagem cíclica é semelhante à auditoria de contagem física e é conduzida da mesma forma, com os auditores observando os processos durante uma ou mais contagens cíclicas para avaliar a frequência e a precisão para identificar oportunidades para melhorar a precisão.
  • A análise de custos indiretos é um método de auditoria que examina os custos indiretos associados ao estoque de uma loja, como os custos de armazenamento, manuseio e transporte. Esse método ajuda os varejistas a entender como esses fatores afetam o custo geral do estoque.
  • As auditorias da análise de custos de frete examinam como os custos de frete são contabilizados. Eles podem ser incluídos no COGS ou cobrados como despesa, mas o método precisa ser consistente; os auditores revisam registros para essa consistência.
  • Reconciliação de estoque é um método de auditoria que compara registros de estoque e financeiros com contagens físicas para garantir que os saldos de estoque sejam transportados e para identificar discrepâncias.
  • As auditorias de camadas de estoque examinam como os varejistas registram suas camadas de estoque FIFO e LIFO para garantir que o registro dos varejistas como primeiro a entrar ou último a entrar seja preciso.

8 melhores práticas e dicas para gerenciamento de estoque de varejo

O gerenciamento de estoque pode ser inicializado para várias etapas lógicas: Certifique-se de que você tenha estoque suficiente para atender à demanda. Certifique-se de poder enviar ou entregar esses itens a seus clientes de forma econômica e em tempo hábil. Certifique-se de saber de onde seus produtos estão vindo, que você tem um método para reordená-los antes de eles esgotarem e que encontrou uma maneira confiável de prever a demanda, para saber quando e com que frequência repor seu estoque. Veja a seguir um resumo das melhores práticas mais granulares.

1. Use a análise ABC:

A análise ABC representa o primeiro passo mais básico no gerenciamento de estoque inteligente, o que garante que você tenha o suficiente do estoque mais valioso para sua empresa.

Usando a análise ABC, divida seu estoque em três (ou mais) categorias amplas, classificadas em ordem de volume de vendas ou lucratividade, e priorize seu estoque de acordo. O Princípio de Pareto é uma boa regra: manter 20% do estoque de mercadorias que geram 80% de vendas ou lucros, na categoria A. A categoria C é para os itens menos lucrativos ou populares, e a categoria B é para os itens que ficam no meio. Os varejistas usam esse tipo de análise para ajudar a determinar pedidos futuros, bem como decisões sobre marketing, exibições e merchandising.

2. Preveja a demanda:

A previsão de demanda é o processo de prever a demanda de um item de estoque durante um período futuro definido. Preveja a demanda revisando o histórico de vendas e outros dados combinados com a aplicação de conhecimento sobre a próxima sazonalidade, tendências de mercado e eventos especiais, como feriados e promoções. Os varejistas podem fazer sua previsão de demanda segurando um dedo no vento ou usando software de análise de dados, que tem uma boa chance de superar até mesmo os indicadores mais sensíveis.

3. Defina KPIs:

Dizem que o que não é medido não é gerenciado, o que deve ser atenuado pela ideia de que muitas métricas estragam o caldo. É importante definir um número fixo e gerenciável de indicadores-chave de desempenho que sejam cruciais para seus negócios, como giros de estoque, taxa de venda direta, retorno sobre o investimento da margem bruta e redução de estoque, e garantir que as pessoas que trabalham para essas métricas produzam os resultados desejados.

4. Otimize a taxa de giro de estoque:

Um giro de estoque lento pode indicar uma diminuição da demanda do mercado, o que pode indicar que está hora de reduzir as quantidades de reposição e o estoque de segurança, mudar os preços, oferecer incentivos para reduzir os níveis de estoque ou alterar a combinação de mercadorias oferecidas para venda. A maioria dos itens passa por um ciclo de vida de aumento da demanda, seguido de um nivelamento e maturidade antes de um eventual declínio. Concentre-se nos itens que entram em estágio de declínio e reduza os níveis de estoque antes que eles se tornem obsoletos. Do lado oposto, um giro de rotatividade alto significa que você não está comprando estoque suficiente para atender à demanda ou que é potencialmente o momento de aumentar os preços para estabilizar a taxa e aumentar as margens de lucro unitário.

5. Determine seu ponto de reposição:

O ponto de reposição é o nível de estoque que aciona o reabastecimento em um sistema de gerenciamento de estoque. Embora os varejistas possam estabelecer pontos de reposição manualmente, usar o software de planejamento de demanda ajuda a evitar falta de estoque e garante que os itens certos sejam pedidos no momento certo. Os varejistas usam uma fórmula de ponto de reposição como um acionador para repor um determinado produto. Em termos gerais, o ponto de reposição é o uso diário em unidades multiplicado pelos dias de lead time necessários para substituição, além das unidades de estoque de segurança, ou o seguinte:

Ponto de reposição = (número de unidades usadas diariamente x número de dias de lead time) + número de unidades de estoque de segurança

6. Estabeleça um estoque de segurança:

O estoque de segurança funciona como um buffer de estoque que protege os varejistas contra uma demanda surpreendentemente forte, atrasos de fornecedores, previsão de demanda imprecisa (suspiro!) ou uma falha ao fazer pedidos em tempo hábil. Isso representa o maior custo de oportunidade para varejistas: Em 2021, as vendas perdidas para saídas de estoque custaram aos varejistas dos EUA US$ 82 bilhões somente em vendas de bens de consumo. Os varejistas podem manter um nível adequado de estoque de segurança pegando o número de produtos que vendem por dia e multiplicando-o pelo número de dias de estoque de segurança que eles querem, um nível apropriado depende do seu negócio. Um varejista que vende 200 itens por dia que deseja um estoque de segurança de sete dias teria que multiplicar 200 por 7, para um estoque de segurança de 1.400 unidades.

7. Otimize os processos de coleta e embalagem:

Os processos de coleta e embalagem envolvem as etapas físicas que a equipe de depósito realiza para atender aos pedidos dos clientes. Um método simples para operações menores é fazer com que a equipe atenda a cada pedido um de cada vez. Outros métodos incluem coleta em lote (múltiplos do mesmo item reunidos ao mesmo tempo para diferentes pedidos), coleta em onda (pedidos semelhantes atendidos ao mesmo tempo) e coleta por zona (a equipe coleta produtos somente nas zonas de depósito atribuídas). Cada abordagem procura atender os pedidos dos clientes com exatidão e em tempo hábil, com o menor custo para o varejista.

8. Implemente rastreamento de lote:

O rastreamento de lote ajuda os varejistas a organizar e armazenar estoque para garantir controle de qualidade, rastreabilidade e atendimento adequado. Ele pode ser usado para rastrear peças ou ingredientes associados a um grupo (ou lote) de produtos de volta até o fabricante ou distribuidor, muitas vezes para organizar produtos perecíveis por data de produção ou data de vencimento. Outros usos incluem conformidade com regulamentos e rastreamento de estoque que foi lembrado após o envio.

12 benefícios do software de gerenciamento de estoque de varejo

O software de gerenciamento de estoque ajuda as empresas a manter um controle preciso do estoque e automatizar funções importantes, como reordenação e distribuição. Aplicações sofisticadas de gerenciamento de estoque também ajudam na previsão para que os varejistas possam projetar a demanda, evitar a necessidade de desconto e melhorar o atendimento e a satisfação do cliente.

1. Melhore o atendimento ao cliente: O software de gerenciamento de estoque melhora o atendimento ao cliente ajudando a garantir que os varejistas mantenham os itens em estoque. O software faz isso fornecendo estimativas precisas de quais produtos fora de estoque serão recebidos pelo varejista ou pelo depósito e enviados ao cliente e indicando quais itens estão em estoque que os clientes talvez aceitem como alternativa ao item que estavam procurando.

2. Aumente o número de canais de venda: As aplicações de gerenciamento de estoque ajudam as empresas a ampliar para novos canais de varejo permitindo que elas aproveitem o estoque atual nesses canais. Esta prática ajuda os varejistas a atender pedidos on-line sem frustrar os clientes com falta de estoque e ajuda a orientar decisões sobre desconto ou oferta de mercadorias nas lojas com marca de desconto do varejista.

3. Rastreamento preciso de estoque: de forma resumida, você não pode vender o que não sabe se tem. Os varejistas de sucesso acompanham precisamente o que eles têm no estoque, o que precisa ser reordenado e se eles precisam fazer algo (como descontos de oferta) para movimentar o estoque que está ficando obsoleto.

4. Impeça a sobrecotação: a sobrecotação ocorre quando um varejista vende mais itens online do que tem em estoque, resultando em uma falta que frustra os clientes, prejudica sua marca e pode causar perda de vendas. Geralmente, a sobrecotação é o resultado da lenta sincronização de dados entre sistemas de estoque e lojas digitais.

5. Reordenação mais precisa: O software de gerenciamento de estoque não esquecerá um marco importante no calendário de varejo ou permitirá que os estoques fiquem abaixo do ponto de reposição.

6. Gerencie depósitos multilocais: Varejistas com vários locais físicos ou atividades de comércio eletrônico podem usar o software de gerenciamento de varejo para transferir mercadorias entre centros de distribuição, trazendo as mercadorias mais perto de onde estão em alta demanda - ou onde o armazenamento está disponível ou é mais barato - para que então seja possível enviar mercadorias de forma mais rápida e econômica para as lojas locais.

7. Reduza os custos: O software de gerenciamento de estoque ajuda a reduzir pedidos em excesso devido à baixa previsão ou distribuição de armazém e reduz processos redundantes que aumentam os custos de mão de obra.

8. Preveja a sazonalidade: As aplicações de gerenciamento de estoque ajudam os varejistas a manter estoques apropriados de mercadorias em diferentes épocas de venda.

9. Aumente a produtividade: as aplicações de gerenciamento de estoque ajudam a automatizar tarefas de rotina, reduzindo o número de etapas que os funcionários precisam realizar para concluir essas tarefas, liberando-os para focar mais na tomada de decisões de nível superior.

10. Reduza estoque antigo e estoque morto: Ao determinar níveis de estoque apropriados por meio de análises ABC e outros métodos analíticos, o software de gerenciamento de estoque ajuda a garantir que os varejistas não adquiram mais estoque do que o necessário.

11. Melhor acompanhamento de despesas: As aplicações de gerenciamento de estoque ajudam os varejistas a entender quais mercadorias estão sendo compradas, como e onde estão sendo armazenadas e quanto custa armazená-las, transportá-las, enviá-las, distribuí-las e comercializá-las.

12. Melhore os KPIs da cadeia de suprimentos: As aplicações de gerenciamento de estoque ajudam a gerenciar os fluxos de entrada e saída de mercadorias oferecidas para venda, ajudando os líderes de negócios de varejo a gerenciar fornecedores e reduzir pedidos pendentes, custos de remessa excessivos resultantes de muitos pedidos de pressa e oportunidades perdidas para vender mercadorias em alta demanda. Eles também melhoram a precisão com que os indicadores-chave de desempenho são medidos.

Gerencie o Estoque Facilmente com a Oracle

As aplicações Oracle Retail Inventory e Planning Management fornecem visibilidade e controle de mercadorias que fluem em um negócio de varejo para que os varejistas possam agir conforme necessário para gerenciar eventos que precisam de atenção. As aplicações Oracle Cloud também ajudam os varejistas a gerenciar custos e capital de giro, além de cumprir as metas de receita determinando os níveis de estoque necessários em todos os locais.

O gerenciamento de estoque é um dos aspectos mais importantes da administração de um negócio de varejo bem-sucedido. É um processo de rastreamento e controle do fornecimento de mercadorias disponíveis para venda, essencial para garantir que os clientes tenham acesso aos produtos desejados em tempo hábil.

Automatizar o gerenciamento de estoque por meio de uma variedade de aplicações ajuda os varejistas a acompanhar com mais precisão os níveis de estoque, reduzir erros manuais de entrada de dados e aumentar a eficiência do depósito. A automação também ajuda os varejistas a identificar rapidamente possíveis saídas de estoque, permitindo que eles tomem medidas preventivas. A previsão da demanda do cliente ajuda os varejistas a manter o estoque suficiente disponível enquanto os ajuda a ajustar suas estratégias de preços. O gerenciamento de estoque é como os varejistas definem níveis de estoque, gerenciam custos de estoque e identificam e descartam qualquer estoque em excesso ou obsoleto para reduzir custos.

Perguntas Frequentes sobre Gerenciamento de Estoque de Varejo

Quais são as três principais técnicas de gerenciamento de estoque?
As três principais técnicas de gerenciamento de estoque são a avaliação de estoque, usada para determinar o valor do estoque mantido em lojas de varejo e armazenamento; a reconciliação regular, usada para garantir que o estoque registrado corresponda ao que pode ser contado fisicamente e a análise ABC, que ajuda os varejistas a priorizar seus estoques para se concentrar mais nos itens mais vendidos.

Quais são os KPIs mais importantes para o gerenciamento de estoque?
Os indicadores-chave de desempenho mais importantes para o gerenciamento de estoque incluem giro de estoque, redução, precisão na previsão de demanda, taxa de venda direta, dias disponíveis, taxa de pedidos pendentes, estoque médio e lead time.

Qual é a diferença entre a razão estoque-vendas e o índice de giro de estoque?
A principal diferença entre os dois é que a razão estoque -vendas faz referência ao valor monetário do estoque, enquanto o índice de giro de estoque é baseado em unidades ou volume vendido.

Solicite uma demonstração do retail fashion

Veja como as soluções Oracle, com recursos integrados de IA e machine learning, ajudam os varejistas de moda a oferecer uma experiência de compra eficiente que atenda às necessidades dos clientes.