Não foi possível encontrar uma correspondência para sua pesquisa.

Sugerimos que você tente o seguinte para ajudar a encontrar o que procura:

  • Verifique a ortografia da sua pesquisa por palavra-chave.
  • Use sinônimos para a palavra-chave digitada; por exemplo, tente “aplicativo” em vez de “software.”
  • Inicie uma nova pesquisa.

O que é eCommerce?

Oracle Commerce

Conheça as soluções de comércio eletrônico B2B e B2C da Oracle.

Comércio eletrônico é o negócio de compra e venda de bens e serviços pela Internet. Os clientes do comércio eletrônico podem fazer compras utilizando computadores, bem como outros pontos de contato, incluindo smartphones, smartwatches e assistentes digitais, como os dispositivos Echo, da Amazon.

O Comércio eletrônico está crescendo nos setores de empresa para consumidor (B2C) e de empresa para empresa (B2B). No comércio eletrônico B2C, um varejista ou outra empresa vende diretamente aos clientes finais. No comércio eletrônico B2B, uma empresa vende para outra. Em ambos os setores, o objetivo da maioria das empresas é permitir que os clientes comprem o que quiserem, a qualquer hora, de qualquer lugar, usando qualquer dispositivo digital.

Simplificando, big data são conjuntos de dados maiores e mais complexos, especialmente de novas fontes de dados. Esses conjuntos de dados são tão volumosos que o software de processamento de dados tradicional simplesmente não consegue gerenciá-los. Mas esses grandes volumes de dados podem ser usados para resolver problemas de negócios que você não teria conseguido resolver antes.

O Valor Comercial do Comércio eletrônico

A taxa de crescimento das vendas do comércio eletrônico é projetada em surpreendentes 265%. Em 2017, as vendas de comércio eletrônico no varejo em todo o mundo totalizaram US$ 2,3 trilhões e em 2021 - apenas quatro anos depois - as receitas devem chegar a US$ 4,88 trilhões.1

O crescimento explosivo do comércio eletrônico o torna uma ferramenta cada vez mais valiosa e até essencial, que permite às empresas

  • Diferencie-se de seus concorrentes
  • Alcance mais clientes em mais regiões do mundo
  • Reduza os custos vendendo diretamente aos clientes e mantendo menos lojas físicas tradicionais
  • Permita que os clientes comprem a qualquer hora e em qualquer lugar, usando seus dispositivos preferidos - um recurso essencial para a geração Y e outros nativos digitais
  • Obtenha dados valiosos do cliente por meio de métricas on-line
  • Teste novos produtos, serviços, marcas e empresas no mercado com um mínimo de investimento antecipado
  • Fornece opções de autoatendimento aos clientes, permitindo que uma equipe de vendas menor venda para mais clientes
  • Estabeleça dimensões rapidamente e com baixo custo

1 Statista. (Março de 2018). Vendas de comércio eletrônico de varejo em todo o mundo de 2014 a 2021. Obtido em https://www.statista.com/statistics/379046/worldwide-retail-comércio eletrônico-sales/

Como o Comércio eletrônico Está Mudando a Experiência de Compra

Para acompanhar as demandas crescentes dos clientes por mais escolha, acesso mais fácil e entrega mais rápida, as empresas estão integrando suas ofertas na loja e de comércio eletrônico para criar experiências de compra multicanal contínuas onde os clientes podem

  • Pesquise e explore produtos e serviços on-line antes de fazer uma compra on-line ou na loja física
  • Experimente itens da loja por meio de quiosques interativos, concierges pessoais e outras ofertas antes de fazer uma compra on-line ou fisicamente
  • Use qualquer dispositivo, um computador, smartphone, smartwatch, assistente digital e muito mais para fazer compras quando e onde quiser
  • Receba recomendações personalizadas, cupons e outras ofertas on-line com base nas informações coletadas on-line ou na loja física
  • Mande os itens para onde quiser (para sua casa ou loja locai), geralmente em apenas um ou dois dias
  • Encomende itens on-line de dentro de uma loja física tradicional, quando a loja física não tiver o estoque do item escolhido (estilo, tamanho, cor, entre outros)

Exemplos de Empresas de Comércio eletrônico

O comércio eletrônico se tornou um fenômeno dominante a partir da década de 1990. A Amazon.com, que agora é a maior plataforma de comércio eletrônico do mundo, estreou em 1995, e outros grandes negócios de comércio eletrônico como Alibaba, PayPal e eBay logo a seguiram. No início dos anos 2000, empresas de todos os tamanhos estavam oferecendo experiências de comércio eletrônico.

Alguns negócios B2B e B2C, como Amazon, se originam como negócios de comércio eletrônico sem lojas de varejo físicas tradicionais. Esses negócios pure play normalmente identificam uma lacuna no mercado de varejo tradicional que pode ser preenchida por meio de uma solução exclusiva de comércio eletrônico.

Warby Parker é um exemplo de empresa que reconheceu que os consumidores queriam experimentar os óculos no conforto de suas casas. A empresa foi fundada em 2010 como um varejista apenas on-line de óculos de grau e, em 2015, estava avaliada em mais de US$ 1 bilhão. Hoje, a Warby Parker opera um número limitado de lojas físicas tradicionais para complementar suas vendas de comércio eletrônico. (Empresas pure-play que posteriormente adicionam locais físicos são chamadas de lojas brick-and-click.)

A empresa de colchões Casper também começou como varejista apenas de comércio eletrônico. Fundada em 2014, a Casper foi avaliada em mais de US$ 1,1 bilhões em 2019, e as vendas ano após ano continuam crescendo. A Casper vende colchões e itens relacionados on-line, bem como por meio de um número limitado de showrooms físicos e parcerias com empresas como a Target.

A Blonde Salad é outra história de sucesso de comércio eletrônico, iniciada por Chiara Ferragni em 2009. Usando influenciadores de mídia social e visando compradores da geração dos millenials, The Blonde Salad cresceu rapidamente de um blog de moda para uma revista on-line e rapidamente expandiu o negócio de comércio eletrônico, vedendo roupas e acessórios.

Outras empresas têm uma longa história como varejistas com lojas físicas e integram o comércio eletrônico com suas ofertas de vendas tradicionais. Por exemplo, a loja de departamentos John Lewis & Partners abriu sua primeira loja John Lewis em 1864 e agora tem mais de 50 lojas físicas em toda a Grã-Bretanha. Ao mesmo tempo, a empresa integrou ofertas sofisticadas de comércio eletrônico, permitindo que os clientes façam compras on-line em uma variedade de dispositivos e comprem itens para entrega em domicílio ou retirada na loja.

Louis Vuitton (fundada em 1854), Things Remembered (fundada como Can Do em 1967) e as empresas TJX (fundadas como Zayre Corp. em 1956) são exemplos adicionais de varejistas tradicionais que integraram o comércio eletrônico com sucesso. Todos mantêm lojas físicas tradicionais onde os clientes ainda podem experimentar os itens, interagir com os vendedores e tocar e testar os produtos fisicamente. Ao mesmo tempo, seus canais de comércio eletrônico permitem que clientes em todo o mundo pesquisem produtos e façam pedidos usando seu dispositivo preferido quando quiserem, para entrega quando e onde quiserem.

Elementos Essenciais das Plataformas de Comércio eletrônico

Seja fornecendo comércio eletrônico B2B ou B2C, ou ambos, as empresas precisam de uma plataforma de comércio eletrônico avançada, flexível e escalável que atenderá às necessidades dos clientes hoje e no futuro. As melhores plataformas de comércio eletrônico são

Flexível A plataforma deve oferecer suporte a vendas B2B e B2C em uma plataforma que pode ser implementada usando um ambiente de nuvem híbrida ou outros modelos.
Acessível Os modelos de assinatura de software como serviço (SaaS) são geralmente mais acessíveis do que as plataformas locais, que geralmente exigem investimentos altos e contínuos em infraestrutura.
Intuitivo O comércio eletrônico precisa ser de fácil navegação para os clientes no front end e de fácil gerenciamento para as empresas no back end. As interfaces do usuário precisam ser claras e simples para que os funcionários não técnicos possam adicionar páginas e recursos sem dificuldade.
Fácil de integrar As empresas devem facilmente integrar suas tecnologias legadas à plataforma para manter os custos baixos e aproveitar os investimentos existentes.
Customizável As empresas devem ser capazes de personalizar a experiência do cliente no front-end conforme necessário para oferecer suporte à sua marca.
Rápido As empresas precisam de plataformas de comércio eletrônico fáceis de implementar, com arquitetura de autoatendimento e estruturas baseadas em padrões que simplificam a implantação e facilitam a adição de aplicativos e recursos conforme necessário.
Simples As plataformas de comércio eletrônico devem ser fáceis de manter e monitorar, com atualizações automáticas, acesso instantâneo aos recursos mais recentes e visibilidade em tempo real das métricas de desempenho de toda a empresa.
Seguro As plataformas de comércio eletrônico devem fornecer as medidas de segurança abrangentes mais recentes, ao mesmo tempo que garantem a conformidade com o Padrão de Segurança de Dados da Indústria de Cartões de Débito (PCI DSS), com o Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados (GDPR) e também com outros regulamentos.
Escalonável Seja na Black Friday ou no dia do lançamento de uma nova marca, a plataforma deve ser capaz de escalar rapidamente para oferecer uma experiência excepcional aos clientes em todo o mundo todos os dias do ano.

O Futuro do Comércio eletrônico

O comércio eletrônico está crescendo rapidamente, à medida que as demandas dos clientes continuam crescendo e as inovações tecnológicas em IA, machine learning, a Internet das Coisas (IoT) e muito mais permitem que as empresas atendam a essas demandas de novas maneiras.

Entre as tendências de comércio eletrônico a serem observadas estão

Expansão para mais mercados O comércio eletrônico está crescendo no mundo todo e as empresas competirão para ganhar milhões de novos clientes em mercados emergentes e existentes.
Maior personalização Os clientes desejam experiências de comércio eletrônico personalizadas, como descontos e sugestões de upsell com base em seu histórico de compras. As plataformas de comércio eletrônico que utilizam IA para previsões e recomendações mais precisas ganharão e reterão mais clientes.
Entregas mais rápidas Entregas no mesmo dia, e até mesmo na mesma hora, por drones e outros meios se tornarão cada vez mais comuns, forçando todas as empresas a otimizar suas cadeias de suprimentos e agilizar as entregas para se manterem competitivas.
Compra baseada em assinatura As vendas por assinatura de produtos de estilo de vida e outros bens provavelmente aumentarão, fornecendo produtos selecionados para clientes exigentes.
Mais pontos de contato Os clientes farão mais compras com seus telefones, assistentes digitais e outros dispositivos digitais, forçando os varejistas de comércio eletrônico a fornecer um serviço integrado em mais pontos de contato.
Chatbots aprimorados Assistentes digitais e outros chatbots se tornarão progressivamente mais sofisticados, permitindo que os clientes interajam por voz e usando IA para fornecer assistência por conversação adicional.
Lojas experimentais Os varejistas com lojas físicas tradicionais mudarão para ofertas mais interativas e envolventes, atraindo os clientes com quiosques digitais, espelhos aprimorados com tela sensível ao toque, aulas na loja, recursos de realidade virtual, cafeterias na loja e outras experiências interativas.
Visualização aprimorada Os varejistas de comércio eletrônico usarão a realidade virtual, imagens 3D, realidade aumentada e outras tecnologias para imitar experiências práticas que antes estavam disponíveis apenas em lojas físicas.

Explore as soluções de experiência do cliente de comércio eletrônico B2B da Oracle, que são projetadas para fornecer experiências omnichannel que são imersivas e fáceis de escalar.