Não foi possível encontrar uma correspondência para sua pesquisa.

Sugerimos que você tente o seguinte para ajudar a encontrar o que procura:

  • Verifique a ortografia da sua pesquisa por palavra-chave.
  • Use sinônimos para a palavra-chave digitada; por exemplo, tente “aplicativo” em vez de “software.”
  • Inicie uma nova pesquisa.
Entre em Contato Faça login na Oracle Cloud

O que é uma nuvem híbrida?

Definição de nuvem híbrida

O que é uma nuvem híbrida? O termo se refere à combinação eficaz de serviços on-premises, nuvem privada e nuvem pública (como Oracle Cloud), todos trabalhando juntos para impulsionar uma organização inteira. Essa configuração é flexível, dependendo dos requisitos, e pode incluir ativos privados e outras aplicações, tudo com o objetivo de equilibrar as possíveis variáveis, desde o uso de recursos até a compatibilidade com aplicações legadas. Em muitos casos, a computação em nuvem híbrida oferece a solução perfeita entre os benefícios da tecnologia de nuvem moderna e as limitações práticas dos recursos de nuvem, como quando a computação de alto desempenho está envolvida. Também permite que as organizações adotem uma abordagem dividida em fases para a adoção da nuvem pública para suas necessidades de transição com base em hardware legado, dados proprietários, entre outros.

Miniatura de vídeo definida pela nuvem híbrida

Com uma nuvem híbrida, as organizações obtêm o melhor dos dois mundos em um ambiente flexível capaz de se adaptar às suas necessidades específicas. Os benefícios das soluções de nuvem híbrida incluem:

  • Maior controle sobre gerenciamento de recursos
  • Agilidade na implantação de aplicações
  • Implementação e execução de segurança mais fortes
  • Escalabilidade flexível e provisionamento mais rápido
  • Otimização de recursos e custos

Elementos de soluções de nuvem híbrida

O que está incluso em uma solução de nuvem híbrida? Os elementos da nuvem e os elementos on-premises normalmente existem de forma independente, e o processo de estabelecer uma nuvem híbrida é criar um ambiente integrado que una harmoniosamente esses dois lados. Para isso, devem ser considerados os seguintes elementos:

Gerenciamento unificado:

O hardware on-premises e a rede na nuvem devem ter ferramentas de gerenciamento distintas. Ao unificar a infraestrutura sob um modelo híbrido, os dados e os recursos são gerenciados em uma única plataforma.

Arquitetura consistente:

Em determinado momento, toda empresa provavelmente terá alguma medida de sua rede na nuvem – esse é o caminho da curva de tecnologia. Em um ambiente híbrido, isso significa que o hardware on-premises legado terá que funcionar perfeitamente com os elementos da nuvem. Ao usar uma arquitetura consistente para governar, as organizações poderão trabalhar em ambos os lados de maneira portátil e flexível. As implantações simétricas também são ideais para usar durante a migração ou configuração de recuperação de desastres.

Inteligência artificial (IA) e machine learning:

Uma nuvem híbrida pode realmente maximizar os recursos em toda a empresa com automação alimentada por inteligência artificial e machine learning. Isso elimina erros humanos em tarefas repetitivas, permitindo a manutenção preditiva e a regulamentação de políticas.

imagem da nuvem híbrida

Quem usa computação em nuvem híbrida?

A computação em nuvem híbrida funciona muito bem para diversos propósitos específicos. Isso geralmente inclui situações em que os dados têm limitações ou requisitos específicos em relação ao armazenamento, processamento, segurança ou outras necessidades exclusivas. Para essas organizações, a computação em nuvem híbrida atende a várias necessidades, como:

Necessidades regulatórias especiais:

Algumas organizações podem ter que trabalhar com exigências regulatórias especiais orientadas por variáveis como tempo de resposta, segurança e acessibilidade geográfica. Uma nuvem híbrida permite flexibilidade na criação de uma estratégia de dados que pode acomodar isso, com necessidades gerais de dados colocadas em uma nuvem pública e dados sob restrições regulatórias mantidos nas configurações locais estratégicas.

Divisão de dados:

Alguns conjuntos de dados apresentam informações confidenciais, privadas ou proprietárias. Os dados que potencialmente se enquadram nisso incluem dados financeiros, dados confidenciais de clientes ou prontuários médicos. No entanto, a maior parte dos dados de aplicações ou organizacionais podem não necessariamente conter esses mesmos requisitos. Uma nuvem híbrida permite essa separação, dados confidenciais em uma nuvem privada para fins de segurança e o restante dos dados em uma nuvem pública para processamento e armazenamento eficientes.

Cargas de trabalho dinâmicas:

A escalabilidade é uma preocupação comum no planejamento de dados corporativos, mas apenas algumas organizações precisam lidar com a escalabilidade regularmente, até mesmo diariamente. Nessas situações, as cargas de trabalho dinâmicas criam necessidades de recursos variáveis, geralmente apenas com um subconjunto de dados ou operações. A computação em nuvem híbrida cria uma solução flexível que coloca as necessidades de recursos estáveis em uma configuração, ao mesmo tempo em que coloca cargas de trabalho dinâmicas em uma nuvem pública para dimensionamento econômico, conforme necessário.

Benefícios da computação em nuvem híbrida

O on-premises vem com limitações, como manutenção de hardware e conformidade regulatória em ativos individuais. A rede em nuvem vem com suas próprias limitações, como possíveis problemas de latência ao lidar com processos de alto recurso. As soluções de nuvem híbrida oferecem um equilíbrio entre essas duas opções, oferecendo às organizações a capacidade de criar um design específico de nuvem híbrida para maximizar suas próprias necessidades. Os benefícios incluem:

Gerenciamento consistente:

Com a computação em nuvem híbrida, são utilizadas soluções on-premises e em nuvem. No entanto, aplicações, bancos de dados e componentes são governados sob um único contrato guarda-chuva de gerenciamento de dados, permitindo uma abordagem unificada e simplificada que possibilitou a interoperabilidade.

Automação:

As redes em nuvem geralmente incluem conectividade e recursos mais robustos para fornecer automação em processos. Em uma nuvem híbrida, os segmentos que usam os elementos da nuvem podem aproveitar essas funções. Isso também ajuda nos planos para uma futura implantação em nuvem completa, fornecendo aos gerentes de TI uma noção do que será possível em termos de automação quando tudo for movido para a nuvem.

Controle:

Embora a rede de nuvem traga vários benefícios, a verdade é que ela alia a sua organização a terceiros. Ao empregar uma solução de nuvem híbrida, é possível segmentar e particionar os vários elementos de sua configuração específica entre gerenciamento on-premises e na nuvem. Por exemplo, qualquer coisa que precise ser dimensionada rapidamente pode estar na nuvem, enquanto os dados que exigem segurança exclusiva podem permanecer on-premises.

Segurança:

Os componentes on-premises e na nuvem têm suas vantagens quando se trata de segurança de dados. O on-premises permite que os dados fiquem protegidos por um firewall local, garantindo que dados confidenciais ou proprietários recebam proteção máxima. As redes em nuvem permitem benefícios como políticas de segurança unificadas e distribuição em massa de atualizações. Com a computação em nuvem híbrida, os elementos únicos e específicos de uma organização podem ser avaliados sob o microscópio da tolerância ao risco e, portanto, atribuídos de acordo.

Otimização de recursos:

As soluções de nuvem híbrida oferecem a capacidade de criar uma configuração específica que maximiza o potencial de componentes on-premises e da nuvem. Em última análise, isso cria uma situação em que o custo e os recursos são otimizados para os recursos de qualquer plataforma. Um exemplo disso vem da forma como o poder de computação é usado. Nesse caso, suponha que a maior parte dos processos de uma organização se enquadra no uso padrão de recursos; assim, eles podem ser atribuídos à parte da nuvem para manter os custos baixos. Por outro lado, os processos de alta computação podem permanecer com hardware on-premises projetado para lidar com essas tarefas sem eliminar outros recursos ou criar a necessidade de expandir repentinamente a capacidade de computação. Esse equilíbrio otimiza o orçamento, mantendo uma experiência de usuário estável em termos de velocidade e disponibilidade.

Casos de uso de nuvem híbrida

Uma nuvem híbrida é a solução inteligente para diversas situações. Os casos de uso a seguir mostram algumas das maneiras pelas quais a computação em nuvem híbrida pode ser utilizada com mais eficiência.

Recuperação de desastres:

Com soluções de nuvem híbrida, a recuperação de desastres privada e pública pode ser ajustada para atender às necessidades exclusivas de uma organização. Isso cria uma solução simplificada que reduz o espaço de armazenamento local e os requisitos de largura de banda enquanto otimiza o processo de backup. No caso de dados proprietários armazenados localmente, garantindo uma recuperação eficiente e rápida. Em última análise, isso permite a continuidade, maximizando a eficiência que vem apenas em uma configuração híbrida.

Migração da carga de trabalho:

Uma solução de nuvem híbrida pode ser uma configuração temporária que permite migrar para uma nuvem permanente. Em alguns casos, uma migração de nuvem corporativa pode levar meses. O uso de uma nuvem híbrida como meio de transição permite uma transição dividida em fases com reversão simples e segura, tudo com um nível de flexibilidade incorporado ao processo que também minimiza ou até elimina o tempo de inatividade.

Ciclo de vida de desenvolvimento:

As necessidades dos recursos mudam durante o ciclo de vida do desenvolvimento. Durante a fase de teste, serão necessários alguns recursos que não serão necessariamente chamados durante a versão beta ou mesmo no lançamento. Em um ambiente de nuvem híbrida, esses recursos podem ser dimensionados de acordo com as necessidades de cada fase. Isso permite flexibilidade ao longo do ciclo de vida sem a necessidade de revisar o hardware ou as configurações.

Aplicações legadas:

Embora muitas ferramentas, aplicações e recursos possam ser migrados para a nuvem, alguns simplesmente exigem os recursos de um ambiente on-premises. A computação em nuvem híbrida oferece suporte a essas circunstâncias, permitindo que uma organização mude para a nuvem no seu próprio ritmo.

Histórias de clientes de nuvem híbrida

Logotipo da 7-Eleven

A 7-Eleven confia a recuperação de desastres global à Oracle

Na América do Norte, o grupo de infraestrutura corporativa da 7-Eleven supervisiona a infraestrutura das principais aplicações do centro de suporte da região. O negócio depende da ampla pegada de tecnologia, que inclui o Exadata para oferecer suporte às aplicações de missão crítica, incluindo o E-Business Suite. O ambiente de infraestrutura da 7-Eleven não tinha recuperação de desastres (DR) para essas aplicações essenciais de negócios. Se uma verdadeira catástrofe acontecesse, não haveria instâncias de recuperação nas quais pudesse fazer failover. A empresa também queria reduzir o custo total de propriedade da infraestrutura que oferece suporte às aplicações de produção mantendo o mesmo desempenho e alta disponibilidade. Além disso, havia um mandato corporativo para modernizar a TI e passar por uma transformação digital. A migração para a nuvem seria a estrutura fundamental para essa iniciativa estratégica.

Soluções de nuvem híbrida

Oferecemos várias soluções para ajudar as organizações a passar de uma configuração on-premises para uma nuvem híbrida. Saiba mais sobre como os especialistas da Oracle podem examinar suas necessidades específicas e o hardware para ajudar a estabelecer uma nuvem híbrida projetada para obter o máximo dos seus dados.