Por que Migrar para a Nuvem: 11 Benefícios para sua Empresa

Mike Chen | Estrategista de Conteúdo | 20 de março de 2023

Se você ainda depende principalmente de um data center on-premises, a migração para a computação em nuvem oferece muitos benefícios comerciais e uma variedade de recursos técnicos, com camadas de preço projetadas para se ajustar a praticamente qualquer caso de uso ou orçamento. Mesmo que sua organização enfrente barreiras tradicionais para a migração para a nuvem, como dados altamente confidenciais ou necessidades de alto desempenho, um dos diversos modelos operacionais de computação em nuvem pode oferecer capacidade, escalabilidade, desempenho, segurança e custos semelhantes ou provavelmente melhores do que seu data center on-premises, sem o custo inicial e a sobrecarga do funcionário.

O que é a Nuvem?

Computação em nuvem refere-se a recursos de computação, dados e aplicações que são executados em servidores em um data center mantido por um fornecedor de nuvem e acessados pela Internet.

A migração para um modelo de computação em nuvem pode oferecer benefícios muito além das operações de TI e fornecer um retorno sobre o investimento em uma organização. A nuvem pode reduzir os gastos de capital iniciais e os custos contínuos da equipe necessários para equipar e executar um data center on-premises. A nuvem pode permitir que as equipes de TI se concentrem mais em novos projetos e desenvolvimento e menos em trabalhos manuais e repetitivos. De forma mais abrangente, o uso das melhores práticas do setor incorporadas a aplicações em nuvem pode ajudar a melhorar os processos de negócios e aumentar a produtividade dos funcionários. As aplicações e a infraestrutura em nuvem podem ser acessadas remotamente, o que pode melhorar a eficiência e facilitar o trabalho remoto, o que, por sua vez, pode ajudar a aumentar a satisfação e a retenção dos funcionários. E ser capaz de adicionar (ou cortar) rapidamente a capacidade computacional ou adotar novos recursos pode ajudar uma organização a aproveitar melhor as oportunidades ou responder às crises.

A tecnologia de nuvem pode ser fornecida por meio de modelos de nuvem pública, privada e híbrida.

Nuvem Pública
Uma nuvem pública é onde o provedor de nuvem oferece capacidade computacional e aplicações pela Internet, a infraestrutura de computação reside no data center do fornecedor e os clientes da nuvem compartilham a infraestrutura de TI do fornecedor. Isso significa que várias organizações podem ter cargas de trabalho em execução em qualquer servidor de nuvem pública fornecido. Os provedores de nuvem pública geralmente oferecem um modelo de pagamento por uso em níveis com padrões de disponibilidade, desempenho e velocidade (denominados contratos de nível de serviço ou SLAs). As organizações são dispensadas de tarefas de manutenção e conservação, como patches de segurança e atualizações de hardware, pois são de responsabilidade do provedor. Isso significa que as organizações e sua equipe de TI podem gastar sua energia em um trabalho mais criativo, como desenvolver novas aplicações ou explorar os recursos de funcionalidades habilitadas para a nuvem, como inteligência artificial e machine learning.

Nuvem Privada
Com uma nuvem privada, uma única organização usa uma parte dedicada dos recursos de computação do fornecedor de nuvem. Esses recursos podem ser hardware dedicado no data center do provedor de nuvem ou podem ser hospedados no data center da organização do cliente e executados pelo provedor. As organizações muitas vezes escolhem uma nuvem privada para lidar com dados confidenciais ou atender a critérios de desempenho específicos, requisitos de controle de dados ou outras necessidades de negócios que justificam o custo, que é maior do que o custo de compartilhar recursos em uma nuvem pública. Dependendo do fornecedor de nuvem privada, a mobilidade de dados, a disponibilidade de recursos e a escalabilidade podem ser limitadas, por isso esses fatores devem fazer parte de qualquer decisão de utilizar uma nuvem privada.

Nuvem Híbrida
Nuvens híbridas usam nuvens públicas e privadas e, em alguns casos, elas também integram data centers on-premises. As nuvens híbridas podem ser configuradas de várias maneiras para atender às necessidades exclusivas de uma organização, e o design final geralmente se baseia em quais dados precisam ser rigorosamente controlados e quais dados podem ser armazenados usando recursos compartilhados. Por exemplo, uma organização pode optar por executar operações internas previsíveis, como finanças e cadeia de suprimentos, em uma nuvem privada, executando aplicações da Web voltadas para o cliente em uma nuvem pública para que possam ser escaladas horizontalmente ou verticalmente conforme a demanda mudar. Ou uma organização pode usar a nuvem pública para armazenar dados não proprietários e menos confidenciais e uma nuvem privada para dados como registros de saúde ou informações confidenciais do cliente com obrigações regulatórias mais altas. Ao usar uma nuvem híbrida, é mais importante ter um plano claro para a funcionalidade, segurança e desempenho de cada elemento para ajudar a garantir uma operação altamente disponível e tranquila.

Modelos do Serviço de Nuvem

A computação em nuvem se refere a software, hardware e dados acessíveis pela Internet e que uma organização aluga usando um modelo de pagamento por uso ou de assinatura. Existem três tipos principais de serviços em nuvem.

  • Infraestrutura como serviço (IaaS): IaaS inclui os serviços básicos de computação, armazenamento e rede de um data center, provisionados e entregues via Internet. Migrar para a IaaS libera a equipe de TI de ter que executar e manter equipamentos do data center, o que permite que eles escalem facilmente a capacidade horizontalmente ou verticalmente.
  • Plataforma como serviço (PaaS): PaaS pega o ambiente IaaS e adiciona recursos baseados em nuvem, como bancos de dados, sistemas operacionais, integração e o gerenciamento necessário para o desenvolvimento de aplicações. Com a PaaS, os usuários têm a tecnologia de nuvem para criar aplicações sem precisar se preocupar com a infraestrutura subjacente. Em geral, a IaaS e PaaS são vendidas usando um modelo de preços de pagamento por uso.
  • Software como serviço (SaaS): SaaS envolve uma aplicação que os usuários acessam pela Internet. As aplicações SaaS são executadas, corrigidas e atualizadas pelo provedor de nuvem. Os usuários geralmente interagem por meio de um navegador da Web ou aplicação móvel, e as organizações geralmente pagam por assinatura. Os exemplos de aplicações SaaS incluem software de negócios, como sistemas de ERP e CRM, redes sociais ou serviços de streaming e videoconferência.

Modelos de Implementação em Nuvem

IaaS, PaaS e SaaS são todos os serviços executados em nuvens, mas e quanto à estrutura subjacente? Para atender aos diversos requisitos de diferentes organizações, a tecnologia de nuvem oferece vários modelos de implementação, incluindo:

  • Pública: Uma nuvem compartilhada com vários clientes usando os recursos do servidor. As nuvens públicas são as mais comuns.
  • Privada: Uma nuvem na qual um cliente tem acesso dedicado a todos os recursos do servidor. As nuvens privadas podem existir no data center em nuvem do provedor ou, às vezes, no local do cliente; em ambos os casos, elas são mantidas pelo fornecedor.
  • Híbrida: Uma configuração que utiliza recursos de nuvem pública e privada. Esse modelo às vezes também inclui data centers on-premises. As nuvens híbridas bem-sucedidas demandam delineações claras entre cargas de trabalho públicas, privadas e on-premises, e quaisquer recursos de integração e rede apropriados devem ser protegidos.
  • Multicloud: Uma configuração que utiliza vários fornecedores de nuvem, permitindo que as organizações escolham a nuvem mais adequada para executar uma determinada carga de trabalho. Por exemplo, uma aplicação e a análise relacionada podem ser executadas em uma nuvem, enquanto o banco de dados de suporte é executado em outra. O êxito de um ambiente multicloud depende de uma forte conectividade e do compartilhamento seguro de dados.

Principais conclusões

  • A computação em nuvem pode reduzir o custo total de propriedade de um departamento de TI e automatizar tarefas manuais repetitivas para que as equipes possam se concentrar no trabalho mais valioso.
  • A tecnologia de nuvem pode ajudar as organizações a melhorar a segurança dos dados para mitigar riscos potenciais.
  • Um ambiente de nuvem pode oferecer recursos mais robustos de recuperação de desastres do que um data center on-premises a um custo menor.
  • A computação em nuvem permite que organizações em crescimento adicionem infraestrutura e recursos para acompanhar suas necessidades e reduzam se o crescimento diminuir.
  • Com recursos de nuvem, a equipe pode acessar aplicações, bancos de dados e infraestrutura de qualquer lugar do mundo, fornecendo acesso remoto mais flexível que pode ajudar a melhorar a colaboração.
A OCI entrega alto valor comercial

De acordo com a IDC, a OCI pode fornecer um ROI de 474% em cinco anos e uma redução de 53% no TCO.

11 Benefícios da Migração para a Nuvem

Velocidade, economia de custos e escalabilidade são apenas três dos motivos pelos quais as empresas estão migrando para a nuvem. Os 11 benefícios abaixo capturam a ampla gama de ganhos possíveis.

1. Redução de custos

Para muitas organizações, o principal motivo para usar serviços em nuvem é simples: Custa menos do que executar um data center on-premises. Em vez de custos iniciais altos, os clientes da nuvem pagam pela TI como uma despesa operacional. Os fornecedores de nuvem se beneficiam de economias de escala, economias que podem ser repassadas aos clientes. E uma organização de clientes de nuvem precisa de menos profissionais de TI para manutenção, pois eles não precisam executar o data center, manter o hardware, nem aplicar patches e atualizar softwares. A equipe de TI pode dedicar seu tempo e energia em um trabalho mais estratégico.

2. Agilidade

A infraestrutura e as aplicações de nuvem permitem que as organizações respondam rapidamente a novas oportunidades e problemas fazendo uso das inovações tecnológicas. As equipes de TI podem implementar novas aplicações de nuvem mais rapidamente porque não há hardware de data center para comprar e implementar nem software para instalar. Após entrar em operação com as aplicações em nuvem, os usuários ganham acesso regularmente a novos recursos sem precisar instalar atualizações de software. Como as equipes não precisam mais se preocupar com a compra e o provisionamento de hardware, bancos de dados e contêineres, novos projetos de desenvolvimento podem ser configurados em ambientes AppDev em questão de minutos.

3. Flexibilidade e escalabilidade

A infraestrutura de nuvem permite que as organizações aumentem ou diminuam a capacidade de computação conforme a demanda. Por exemplo, a mudança do mundo para o trabalho híbrido e remoto no início da pandemia da COVID-19 exigiu uma dependência repentina de videoconferência; provedores de vídeo, como o Zoom, conseguiram aumentar sua capacidade de atender a esse aumento na demanda aproveitando a infraestrutura baseada em nuvem. De forma mais ampla, os fornecedores de nuvem permitem que muitas organizações ampliem os recursos com sucesso para atender aos picos de vendas online e reduzam os recursos de computação se as vendas diminuírem, reduzindo assim os custos operacionais. Seria impossível conseguir um aumento ou redução desses recursos disponíveis tão rapidamente usando um data center de propriedade da empresa.

4. Segurança

Não importa o quanto a equipe de TI de um data center on-premises seja grande ou talentosa, é quase impossível combinar os recursos que um fornecedor de nuvem pode dedicar ao monitoramento, aplicação de patches e pesquisa e desenvolvimento de segurança. Um fornecedor de nuvem está constantemente monitorando ameaças à segurança, aplicando patches e atualizando sistemas, geralmente usando automação, de formas que só são viáveis na nuvem. Por outro lado, muitas organizações de TI têm dificuldade para manter os patches de hardware e software atualizados, levando a vulnerabilidades e violações. Além disso, muitos ambientes de nuvem fornecem funções de segurança incorporadas que podem facilitar a implementação de ferramentas, como autenticação de dois fatores e criptografia de dados.

5. Sustentabilidade

Os fornecedores de nuvem executam um determinado servidor com uma taxa de utilização muito maior, o que significa que usam mais da capacidade de uma determinada máquina, do que os data centers on-premises convencionais. Os data centers tradicionais têm baixas taxas de utilização, o que significa que muita energia é desperdiçada na execução de servidores com capacidade ociosa, seja para atender a picos ocasionais na demanda ou devido à complexidade das cargas de trabalho de balanceamento de carga nos servidores. A alta taxa de utilização dos fornecedores de nuvem leva a um uso mais eficiente da eletricidade. Além disso, muitos fornecedores de nuvem comprometeram-se a reduzir consideravelmente suas emissões de carbono dentro da década, com muitos se comprometendo a chegar a emissões líquidas zero usando fontes de energia renováveis.

6. Confiabilidade

Picos repentinos na demanda podem deixar os sistemas de TI mais lentos, criando um efeito cascata que dificulta o trabalho dos funcionários e impede a produtividade. Uma interrupção total é ainda pior. Uma solução em nuvem oferece camadas de mitigação, incluindo uma combinação de opções de failover e gerenciamento automatizado de recursos para ajudar a manter as aplicações em execução. Por exemplo, se um provedor de nuvem obtiver um pico de demanda de uma aplicação, ele poderá transferir automaticamente alguns recursos das aplicações com menor demanda. Esse tipo de automação em tempo real maximiza a confiabilidade sem tributar a equipe de TI de uma organização.

7. Acessibilidade

Mover o data center e as aplicações de uma organização para a nuvem ajuda a facilitar o trabalho remoto, o que se tornou uma consideração importante para muitos candidatos a emprego. As aplicações e a infraestrutura em nuvem permitem que as organizações façam a transição para o trabalho remoto com mais facilidade, uma vez que os funcionários podem acessar aplicações críticas, como as de contabilidade, cadeia de suprimentos e RH, por meio de seus navegadores. Mesmo os funcionários que precisam de acesso a cargas de trabalho de alto desempenho, como engenharia, machine learning e simulações digitais, podem acessá-las por meio da infraestrutura de nuvem.

8. Disponibilidade

Um data center é tão bom quanto seu plano de continuidade de negócios e recuperação de desastres. Os provedores de nuvem maximizam a disponibilidade com forte redundância e distribuição por meio de zonas separadas dentro de seus data centers e em várias instalações de nuvem. A recuperação de desastres é inerentemente integrada à estratégia de computação em nuvem de uma organização sem a necessidade de um grande investimento adicional.

9. Eficiência

Ao migrar para a nuvem, os departamentos de TI não precisam mais lidar com tarefas demoradas de manutenção ou conservação, uma vez que agora são de responsabilidade de seus fornecedores de nuvem. A automação é um fator essencial para a eficiência em uma organização, e as aplicações em nuvem podem ajudar a agilizar tarefas repetitivas e rotineiras em áreas como finanças, RH, cadeia de suprimentos, marketing e vendas.

10. Colaboração

A tecnologia de nuvem mudou significativamente a forma como as pessoas colaboram online. As aplicações em nuvem permitem acesso remoto mais eficaz, conforme mencionado acima. Mas, ainda mais importante, uma vez que todos os funcionários estão acessando a mesma instância e dados de aplicações baseadas em nuvem por meio de um navegador, pessoas de todas as partes da organização podem colaborar sabendo que estão trabalhando com as mesmas informações, permitindo uma tomada de decisões mais rápida e bem informada.

11. Crescimento

A velocidade com que as empresas podem adicionar e adotar infraestrutura de nuvem e aplicações pode ajudá-las a aproveitar novas oportunidades de negócios e desenvolver a capacidade de suportar o crescimento rápido. À medida que as empresas superam seus sistemas legados de operações internas (por exemplo, finanças, RH ou serviço de atendimento ao cliente), elas podem implementar aplicações baseadas em nuvem mais rapidamente do que poderiam implementar aplicações on-premises convencionais. Da mesma forma, usando serviços de plataforma e infraestrutura baseados em nuvem, quando os planos de crescimento de uma empresa são iniciados, os provedores de nuvem podem escalar para acomodar picos de demanda e manter os sistemas orientados a vendas voltados para o cliente funcionando.

Migre para a Nuvem com a Oracle

Se você estiver considerando uma migração para a nuvem, comece avaliando suas necessidades de data center, incluindo crescimento da capacidade, futuras atualizações de hardware, recursos de recuperação de desastres e capacidade de resposta dos negócios. Quando tiver essas informações, é hora de identificar os melhores modelos de serviço de nuvem e as opções de implementação para sua organização e avaliá-los em relação ao status quo. Quer você escolha um modelo público, privado ou híbrido, a migração para a nuvem comprovadamente oferece benefícios de negócios mensuráveis em áreas como economia de custos, tempo para comercialização e desempenho/confiabilidade do sistema.

A Oracle Cloud Infrastructure (OCI) é uma nuvem de segunda geração que oferece todos os serviços necessários para migrar, criar e executar as aplicações e a infraestrutura necessárias para resolver seus problemas mais difíceis. Desde a execução de software corporativo on-premises até o desenvolvimento de novas aplicações nativas da nuvem, a OCI permite que as organizações migrem cargas de trabalho para a nuvem sem uma nova arquitetura dispendiosa. A OCI também suporta arquiteturas multicloud; por exemplo, o Oracle Database Service for Microsoft Azure permite que as organizações executem cargas de trabalho empresariais de missão crítica na OCI e no Azure. A OCI oferece serviços de mais de 40 regiões de nuvem em todo o mundo, ajudando as organizações a atender aos requisitos de residência de dados. Ela também oferece várias opções do Oracle Cloud@Customer para organizações que precisam implementar serviços de nuvem em seus próprios data centers, dando aos clientes um controle ainda maior sobre seus dados. Para organizações que implementam aplicações SaaS, o Oracle Fusion Cloud Applications oferece o mais amplo pacote de aplicações em nuvem do setor, incluindo ERP, HCM, cadeia de suprimentos, marketing e vendas, além de aplicações específicas do setor para ciências biológicas, serviços financeiros, telecomunicações e muitas outras indústrias.

Perguntas Frequentes sobre Migração para a Nuvem

Como um ambiente de nuvem ajuda nossos usuários finais?
A tecnologia de nuvem geralmente é mais responsiva do que um data center on-premises e geralmente é mais segura, com recursos de recuperação de desastres mais fortes. Para os usuários finais, aplicações e infraestrutura baseadas em nuvem podem criar uma experiência de usuário mais rápida e estável que também incorpora atualizações e disponibiliza novos recursos mais rapidamente.

O que a equipe de TI fará quando os dados forem passados para um fornecedor de nuvem?
Ao migrar de um data center empresarial para a infraestrutura de nuvem, a equipe de TI não precisa mais se preocupar com a manutenção física envolvida com servidores, roteadores e cabos. Em vez disso, eles podem gastar seu tempo focando no desenvolvimento de novas aplicações, explorando oportunidades desbloqueadas por tecnologias emergentes, como machine learning, melhorando processos e respondendo a novas necessidades de negócios.

O que acontece quando o desastre atinge o data center de um provedor de nuvem?
Qualquer data center é vulnerável a problemas, desde falhas de hardware a desastres naturais. A recuperação de desastres e a continuidade dos negócios são dois dos pontos fortes da tecnologia de nuvem. Como as nuvens são criadas com várias camadas de redundância e failover, com zonas de disponibilidade dentro das regiões da nuvem e opções para espalhar cargas de trabalho em data centers geograficamente distantes, não há ponto único de falha.

Cumprindo a promessa da Economia da Nuvem Moderna

Saiba mais sobre como a abordagem da OCI cria uma experiência de nuvem diferenciada e cumpre a promessa da economia da nuvem moderna.