Nenhum Resultado Encontrado

Sua Pesquisa não corresponde a nenhum resultado

Modelos de Implementação de Banco de Dados em Nuvem

Existem dois modelos principais de banco de dados em nuvem.

  • Tradicional, que é muito semelhante a um banco de dados gerenciado interno no local, exceto para provisionamento de infraestrutura. Nesse caso, uma organização compra espaço de máquina virtual de um provedor de serviços de nuvem e o banco de dados é implementado na nuvem. Os desenvolvedores da organização usam um modelo de DevOps ou uma equipe de TI tradicional para controlar o banco de dados. A organização é responsável pela supervisão e gerenciamento de banco de dados.
  • Banco de dados como serviço (DBaaS), em que uma organização contrata um provedor de serviços de nuvem por meio de um serviço de assinatura baseado em taxas. O provedor de serviços oferece uma variedade de tarefas operacionais, de manutenção, administrativas e de gerenciamento de banco de dados em tempo real para o usuário final. O banco de dados é executado na infraestrutura do provedor de serviços. Esse modelo de uso geralmente inclui a automação nas áreas de provisionamento, backup, dimensionamento, alta disponibilidade, segurança, patches e monitoramento de integridade. O modelo de DBaaS fornece às organizações o melhor valor, permitindo que usem o gerenciamento de banco de dados terceirizado otimizado pela automação de software, em vez de contratar e gerenciar especialistas em banco de dados internos.

Os Benefícios de Ter um Banco de Dados Baseado na Nuvem

Os bancos de dados em nuvem oferecem muitos dos mesmos benefícios que outros serviços em nuvem, incluindo

  • Maior agilidade e inovação. Os bancos de dados em nuvem podem ser configurados muito rapidamente e descomissionados com a mesma rapidez, fazendo testes, validando e operacionalizando novas ideias de negócios de maneira fácil e rápida. Se a organização decidir não operacionalizar um projeto, poderá simplesmente abandonar o projeto (e o banco de dados) e passar para a próxima inovação.
  • Tempo de lançamento no mercado menor. Ao usar um banco de dados em nuvem, não é necessário pedir hardware ou perder tempo aguardando remessas, instalação e configuração de rede quando um novo produto está na fila de desenvolvimento. O acesso ao banco de dados pode estar disponível em poucos minutos.
  • Riscos reduzidos. Os bancos de dados em nuvem oferecem inúmeras oportunidades para reduzir o risco em toda a empresa, principalmente nos modelos de DBaaS. Os provedores de serviços de nuvem podem usar a automação para aplicar as melhores práticas e recursos de segurança e diminuir a probabilidade de erro humano: a causa principal do tempo de inatividade do software. Os recursos automatizados de alta disponibilidade e os acordos de nível de serviço (SLAs) podem reduzir ou eliminar a perda de receita devido ao tempo de inatividade. Além disso, a previsão de capacidade não é mais um problema importante ao implementar projetos porque a nuvem pode ser um conjunto infinito de infraestrutura e serviços just-in-time.
  • Custos reduzidos. Os modelos de assinatura de pagamento por uso e o dimensionamento dinâmico permitem que os usuários finais provisionem para o estado estacionário e, em seguida, aumentem a demanda de pico durante períodos de maior movimento e diminuam o dimensionamento quando a demanda retornar ao estado estacionário. Isso é muito menos custoso do que manter esses recursos internamente, onde as organizações precisam comprar servidores físicos para atender à demanda de pico, embora possam precisar de recursos de pico apenas em alguns dias por trimestre. As empresas podem economizar ao literalmente desligar os serviços quando não for necessário. Elas também podem reduzir custos executando iniciativas globais com investimento em infraestrutura secundária. Em muitos casos, a automação de software em nuvem toma o lugar dos administradores de bancos de dados (DBAs) de alto custo, reduzindo assim as despesas operacionais e eliminando a necessidade de recursos internos dispendiosos.

Opções de Gerenciamento de Banco de Dados em Nuvem

Parceiros do Cloud Elite e Global Elite da Oracle

O Programa de Nuvem do Oracle Partner Network (OPN) identifica parceiros que possuem experiência, habilidades e investimentos comprovados e diferenciados nos serviços do Oracle Cloud. Os parceiros mais altamente qualificados e comprometidos que investiram no desenvolvimento de expertise em Oracle Cloud serão designados como Parceiros Cloud Elite e Global Cloud Elite.

Saiba mais

As empresas têm opções de como gerenciar seus bancos de dados em nuvem. Os estilos de gerenciamento de banco de dados podem ser generalizados nas quatro categorias a seguir:

  • Bancos de dados em nuvem autogerenciados. Nesse modelo, uma organização executa seu banco de dados em uma infraestrutura de nuvem, mas gerencia o banco de dados em si, usando recursos internos, sem que nenhuma automação seja integrada pelo fornecedor da nuvem. Esse modelo oferece alguns dos benefícios padrão de localização de um banco de dados na nuvem, incluindo maior flexibilidade e agilidade, mas a organização mantém a responsabilidade e o controle sobre o gerenciamento de banco de dados.
  • Bancos de dados em nuvem automatizados. Nesse modelo, as organizações usam interfaces de programação de aplicativos (APIs) de serviço de banco de dados em nuvem para auxiliar nas operações de ciclo de vida, mas mantêm acesso aos servidores de banco de dados e controlam a configuração e os sistemas operacionais do banco de dados. Os serviços de banco de dados automatizados apresentam SLAs limitados e geralmente excluem atividades planejadas, como correção e manutenção.
  • Bancos de dados em nuvem gerenciados. Esse modelo é semelhante aos bancos de dados em nuvem automatizados, mas o fornecedor de nuvem não permite o acesso do consumidor aos servidores que hospedam o banco de dados. A configuração é limitada a configurações com suporte do fornecedor de nuvem porque os usuários finais não podem instalar seu próprio software.
  • Bancos de dados em nuvem autônomos. Esse é um novo modelo operacional "hands free" em que a automação e o machine learning eliminam a mão de obra associada ao gerenciamento de banco de dados e ajuste de desempenho. Os serviços incluem SLAs para aplicativos essenciais de negócios, como operações sem tempo de inatividade para atividades não planejadas e planejadas de banco de dados e de ciclo de vida de serviços.

Tipos de Bancos de Dados em Nuvem e a Mudança para o Multimodelo

Há vários tipos de bancos de dados em nuvem, todos destinados a atender necessidades específicas e lidar com tipos específicos de cargas de trabalho. Por exemplo, há bancos de dados projetados especialmente para gerenciar transações, outros projetados para executar aplicativos em escala de Internet e outros que servem como data warehouses para análise avançada. A aplicação de modelos de banco de dados específicos para atender às necessidades de aplicativos ou de cargas de trabalho específicos é referida como persistência poliglota.

As cargas de trabalho de OLTP são compatíveis com modelos de dados diferentes daqueles usados em cargas de trabalho OLAP. Os dados de documentos e multimídia dependem de formatos como XML e JavaScript Object Notation (JSON). Outros tipos de bancos de dados incluem bancos de dados de gráficos usados para análise de conectividade, bancos de dados espaciais para análise geográfica, além de repositórios de valor-chave para armazenamento de alto desempenho e pesquisa de tipos de dados simples.

À medida que os bancos de dados corporativos comerciais se desenvolveram com o tempo, eles começaram a abranger vários modelos de dados e métodos de acesso em um único sistema de gerenciamento de banco de dados. O que está ocorrendo no setor atualmente é um movimento em direção ao banco de dados multimodelo que permite que um usuário final trabalhe em diferentes tipos de cargas de trabalho a partir de um banco de dados subjacente.

A Oracle refere-se a esse conceito como persistência poliglota multimodelo. Esse novo recurso permite que muitos aplicativos usem o mesmo sistema de gerenciamento de banco de dados, enquanto a empresa continua a se beneficiar dos modelos de dados exclusivos necessários para um aplicativo específico. Essas novas arquiteturas de banco de dados estão permitindo que as empresas simplifiquem significativamente a quantidade de bancos de dados que usam e evitem a criação de silos de dados que bloqueiam o uso dos ativos (dados) mais valiosos de uma organização.

 

Soluções de Banco de Dados em Nuvem — O Que Deve Funcionar na Nuvem?

A maioria dos setores, de serviços financeiros a assistência médica, pode se beneficiar do uso de soluções de banco de dados em nuvem. A escolha não é se deve ou não usar um banco de dados em nuvem. A escolha é qual modelo e tipo funcionará melhor para atender às necessidades específicas de uma empresa.

Muitas organizações optam por adotar uma abordagem em etapas para a utilização do banco de dados em nuvem, combinando modelos de banco de dados em nuvem tradicionais com modelos de DBaaS. Para os outros, como os do setor de serviços financeiros, a manutenção interna de aplicativos de missão crítica pode continuar sendo uma prioridade.

No entanto, as coisas estão mudando rapidamente. À medida que os modelos de DBaaS se tornam mais robustos e a mudança para bancos de dados em nuvem autônomos se desenvolve, é provável que as empresas encontrem oportunidades melhores e maiores benefícios na migração total de seus bancos de dados para a nuvem.

 

O Banco de Dados do Futuro: “Bancos de Dados Autônomos”

Crescimento dos Principais Projetos do Gartner para Bancos de Dados em Nuvem

O Gartner considerou os bancos de dados em nuvem como um dos segmentos de crescimento mais rápido do mercado de serviços de nuvem pública e espera que a receita da plataforma como serviço de banco de dados (dbPaaS) atinja quase US$ 10 bilhões em 2021.

Obtenha mais detalhes

O mais novo e inovador tipo de banco de dados em nuvem é o banco de dados de nuvem independente (também conhecido como banco de dados autônomo, mencionado anteriormente). Enquanto os bancos de dados on-premise exigem um DBA dedicado para gerenciá-los, essa mesma experiência profunda em DBA não é necessária para gerenciar um banco de dados de nuvem autônomo. Esse tipo de banco de dados usa tecnologia de nuvem e machine learning para automatizar o ajuste de banco de dados, a segurança, os backups, as atualizações e outras tarefas rotineiras de gerenciamento que tradicionalmente foram executadas por DBAs.

Os bancos de dados autônomos são projetados para resistir automaticamente a falhas de hardware, incluindo aquelas em sites da plataforma de nuvem, e oferecem correção on-line completa de software, firmware, virtualização e clustering. Eles dimensionam facilmente o desempenho e a capacidade conforme necessário. Além disso, eles protegem os dados contra ataques externos e usuários internos mal-intencionados e evitam muitos dos problemas relacionados aos períodos de inatividade dos outros modelos, incluindo a manutenção planejada.

Uma pesquisa da IDC indica que até 75% do total de custos de gerenciamento de dados de uma empresa pode ser apenas de mão de obra. Um banco de dados autônomo poderia economizar, em média, centenas, ou talvez milhares, de horas de funcionários em tempo integral por ano para cada um dos seus principais bancos de dados corporativos. Além disso, estima-se que 72% dos orçamentos de TI da empresa vai para a manutenção dos sistemas já existentes, restando apenas 25% para a inovação.

Os bancos de dados autônomos podem ajudar muito a eliminar esses altos custos e permitir que as empresas utilizem seus DBAs em trabalhos de maior valor, como a modelagem de dados, auxiliando programadores com arquitetura de dados e planejamento para capacidade futura.

A Forma Mais Inteligente de Gerenciar Dados: Oracle Autonomous Data Warehouse Cloud (PDF)

Nossa pesquisa mostra que entre os DBAs

  • 39% gerenciam 50 ou mais bancos de dados
  • 95% criam ou atualizam manualmente bancos de dados
  • 78% experimentarão tempo de inatividade não planejado de mudanças de banco de dados não testadas durante suas carreiras

Bancos de Dados em Nuvem Autônomos

  • Garanta o máximo de tempo de atividade e desempenho do banco de dados
  • Garanta a segurança máxima do banco de dados, incluindo patches e correções
  • Elimine tarefas de gerenciamento manuais e propensas a erros por meio da automação
  • Permita que os DBAs apliquem seus conhecimentos a funções de nível superior
Saiba mais sobre bancos de dados em nuvem autônomos e como eles podem melhorar seus negócios

O Que Procurar ao Selecionar um Banco de Dados em Nuvem

Há muitos fornecedores e opções disponíveis para organizações que procuram uma solução de banco de dados em nuvem para sua empresa. Você vai desejar selecionar um modelo que funcione melhor para suas necessidades específicas de negócios. Veja a seguir alguns recursos importantes para procurar em qualquer banco de dados em nuvem:

  • Desempenho
    Dimensionamento de processamento e armazenamento on-line e independente, correção e atualização — com disponibilidade ininterrupta de dados para aplicativos — vão garantir que a capacidade do seu banco de dados atenda às necessidades da sua empresa à medida que flutuam, sem interromper as operações. A otimização de desempenho automatizada e on-line, como a indexação automática, é obrigatória. Você também vai desejar um cluster de dimensionamento horizontal para leitura e gravação a fim de garantir que suas cargas de trabalho de missão crítica e em tempo real sejam executadas sem problemas.
  • Segurança
    Recursos de segurança robustos são primordiais. Qualquer modelo de banco de dados selecionado deve ser capaz de executar a criptografia de dados em repouso e em andamento e fornecer atualizações de segurança automatizadas. Também é essencial garantir uma separação rigorosa de tarefas para que as operações não possam acessar os dados do cliente. Recursos avançados de edição de dados ajudam a garantir que a visibilidade de dados confidenciais seja limitada e controlada. A detecção e prevenção de ataques externos orientadas por machine learning fornecem uma camada adicional de segurança em tempo real. Por fim, para seus aplicativos mais importantes para os negócios, você desejará uma infraestrutura de nuvem dedicada que inclua o isolamento de hardware de outros locatários.
  • E Mais…
    Outras qualidades que você deve procurar incluem um banco de dados em espera legível (combinado com relatórios) para reduzir os custos de alta disponibilidade e tecnologias de flashback líderes do setor para ajudar a fornecer proteção contra erros do usuário. Finalmente, seu banco de dados deve ter ampla compatibilidade com aplicativos de terceiros.

Migração do Banco de Dados On-Premise para a Nuvem

Faça a Migração para a Nuvem com Facilidade

As ferramentas automatizadas da Oracle permitem que você mova facilmente seu banco de dados local para o Oracle Cloud sem praticamente nenhum tempo de inatividade porque o Oracle Database Cloud Service utiliza os mesmos padrões, produtos e habilidades que você usa atualmente on-premise.

Saiba mais sobre como migrar perfeitamente seu banco de dados para o Oracle Cloud

Migrar um banco de dados para a nuvem pode soar como uma tarefa difícil, mas não tem que ser. O planejamento antecipado é a chave. Também é importante lembrar que nem todos os métodos de migração se aplicam a todos os cenários.

Há vários fatores a serem considerados ao escolher um método de migração, incluindo tipos de dados, sistemas operacionais do host e versão do banco de dados. Veja aqui o que você deve considerar e preparar para a abordagem da migração de seus bancos de dados para a nuvem.

  • O software de banco de dados em nuvem de destino é compatível com o que você está executando on-premise? A versão é compatível?
    Alguns provedores de nuvem não oferecem serviços de banco de dados compatíveis com versões on-premise. Além disso, se o banco de dados em nuvem de destino oferecer suporte a somente uma versão superior do software que está usando, você deverá planejar uma atualização.
  • Qual é o tamanho e a escala do seu banco de dados, e a nuvem de destino oferece suporte a essa configuração?
    Alguns provedores de nuvem oferecem apenas configurações de banco de dados menores em termos de tamanho de armazenamento e quantidade de núcleos. Você vai querer ter certeza de que seu provedor tem capacidade para atender às suas necessidades.
  • Você executa scripts adjacentes nos próprios servidores de banco de dados?Em caso afirmativo, você precisaria contratar infraestrutura como serviço (IaaS) ou serviços automatizados, os quais podem não estar disponíveis por meio do seu provedor de nuvem.
  • Você precisa migrar com pouco ou nenhum tempo de inatividade para seu aplicativo existente? Os principais provedores de banco de dados em nuvem, como Amazon, Microsoft e Oracle, estão facilitando a seleção e a migração de bancos de dados. Dependendo das circunstâncias, a migração para a nuvem pode ocorrer em questão de minutos.